Uma história de amor, música e amizade

(esse texto foi escrito no último dia 12 de junho, dia dos namorados)

P. S. I love you

Eu sei, eu sei. Não existe coisa mais clichê do que escrever um texto sobre o seu namoro no dia dos namorados. Mas eu amo essa data especialmente por isso: porque tá todo mundo tão inspirado, tão aberto a falar sobre o amor, tão aberto a se sentir bobo, apaixonado, usando de todo o pacote de coisas bregas possíveis pra dizer sem medo um “eu te amo”, que é contagiante.

Ainda que seja 17 de maio o dia que eu e o Diego mais amamos, e que de fato comemoramos algo que mudou as nossas vidas – o começo de uma história que seis anos depois ainda continua a crescer, a se mexer, a ser divertida e a ensinar muito pra nós dois -, eu acho o dia dos namorados uma data apaixonante! O dia de ver juras de amor. rosas, bombons, declarações espalhadas por aí e amar cada segundinho disso, sem medo de parecer brega ou o que for.

E é um pouco por causa de tudo isso que esse texto aqui surgiu.

Limitless undying love which shines around me like a million suns

Vamos voltar um pouquinho no tempo, para o começo de 2009.

Foi quando eu e Diego nos conhecemos, logo no início da faculdade.

Diego vinha de Mogi Mirim e tinha acabado de tomar uma decisão que, como ele mesmo diz, não sabia muito bem no que ia dar. Morar em Bauru, cursar jornalismo, seguir um caminho totalmente diferente do que até então parecia ser o certo… Havia um turbilhão de dúvidas na sua cabeça.

Eu vinha de Leme e tava tão assustada e ansiosa quanto ele. Porque tirando quando eu era criança e dizia que queria ser bombeira (haha), logo que eu passei a frequentar a escola e ter uma noção do que era uma carreira, eu já sabia que queria ser jornalista. E era exatamente esse sonho que eu estava vindo realizar em Bauru, o que me deixava feliz e morrendo de medo na mesma proporção.

A gente se conheceu logo no nosso primeiro dia na cidade, quando ele apareceu em casa junto com outras pessoas, todas ajudando na mudança de uma república de jornalismo. Foi aí nesse primeiro “olá” que tudo começou, e não porque a gente tenha caído de amores um pelo outro e se apaixonado assim, à primeira vista. Mas porque nós ficamos muito, muito, muito amigos à primeira vista.

I wanna hold your hand

Foi Diego quem fez eu assistir Pulp Fiction pela primeira vez; foi Diego quem me mostrou que o amor que eu tinha pelos Beatles podia ser ainda maior; foi o Diego quem me acompanhou no meu primeiro show em Bauru; e também era o Diego que passava madrugadas em casa junto com uma turma de amigos tendo conversas sobre a vida, o universo e tudo mais. Foi o Diego quem esteve presente me ajudando, aconselhando e se divertindo comigo, logo quando eu cheguei por aqui.

Essa amizade que despertou logo nos nossos primeiros dias de faculdade foi muito importante pra mim. E pra ele também. Éramos dois estranhos em uma cidade diferente, em uma universidade diferente, rodeados de pessoas novas nas nossas vidas. Longe da família, dos amigos, de tudo aquilo que parecia até então certo. A gente se deu bem logo de cara e até hoje eu acho que essa amizade despertada tão de início foi uma das coisas mais maravilhosa da nossa relação. Porque foi ela que construiu toda a base do nosso relacionamento. Foi ela que fez a gente se descobrir primeiro um ao outro e então se apaixonar um pelo outro.

And then while I’m away I’ll write home every day and I’ll send all my loving to you

Nos nós beijamos pela primeira vez no dia dia 17 de maio de 2009. E foi de um jeito tão natural, tão incrível, tão diferente de tudo que eu já tinha passado, que foi aí que nós percebemos que já estávamos mesmo apaixonados um pelo outro. Era amizade ainda, – porque sempre vai haver amizade – mas era amor também.

Nunca houve um “estamos namorando”. Depois do primeiro beijo a gente simplesmente viveu o que os dois estavam sentindo e as coisas foram acontecendo. Com a amizade e o amor misturados a gente passou a se conhecer ainda mais, a se divertir ainda mais, a se apaixonar ainda mais, a ser companheiros ainda mais. E olhando agora pra trás, eu vejo que as coisas aconteceram de uma forma tão linda, tão natural, tão apaixonante e cheia de respeito que não me surpeende que a gente tenha construído essa relação tão bonita. E que cresce cada dia mais.

Ao longo desses mais de seis anos de namoro, a gente aprendeu um bocado – juntos e separados. E estivemos lá um pelo outro também. Nas madrugadas estudando pra provas, nas festas com os amigos, no primeiro dia do trabalho novo, na apresentação de TCC, na adoção dos nosso gatinhos, nos problemas da vida, nas alegrias do dia a dia, nas viagens, nas palavras, nos erros, nos acertos…

Falling, yes I am falling

Já faz dois anos e meio que, oficialmente, passamos a dividir um apartamento, e para surpresa de alguns e confirmação de outros, as coisas deram muito certo – e continuam a dar.

Tanto que a gente tem um monte de planos aí pela frente: casar no campo, viajar o mundo inteirinho se possível, achar um lugar um pouco maior pra viver, fazer uma série de coisas, ter um monte de experiências, crescer pessoal e profissionalmente e estar lá pelo outro nas vitórias individuais, nas vitórias em conjunto e em qualquer momento feliz ou doloroso da vida.

Will you still need me, will you still feed me, when i’m sixty-four?

E, por fim, o que eu posso dizer é que nós estamos muito animados pelo que vem aí pela frente. Porque como diria aquela canção dos Beatles (que a gente tanto gosta): as coisas vão ser ainda mais divertidas e cheias de amor com o tempo, especialmente quando a gente tiver sessenta e quatro anos.

Disso eu tenho certeza.

Bisous, bisous

Tag: minha história em dez músicas

Eu tenho uma lista de posts pra fazer aqui no blog (falei que ia usar meu novo caderninho pra me organizar, não falei?), mas ontem vi essa tag no blog da Bruna Vieira, o Depois dos Quinze, e não resisti em passá-la na frente. Primeiro porque isso faz eu me sentir de volta ao começo dos anos 2000 e quando eu tive meu primeiro blog (desculpa gente, mas atire a primeira pedra quem nunca teve um blog-diarinho) e segundo porque eu gosto mesmo de responder tags, de cunho pessoal ou não.

Decidi então começar por essa e quando der vontade vou caçar umas tags de assuntos diversos pra trazer pra cá. Tenho até algumas de literatura já em mente pra gravar pro canal e uma outra em que fui marcada (thanks Paola!) pra fazer em texto.

E é isso, gente! Espero que vocês gostem das músicas aqui de baixo e se não conhecem alguma, bora colocar esse youtube pra tocar :)

Ps: fiz uma leve modificação na pergunta 4 e 8, pra casar um pouco mais com a minha vida, mas pra ver a tag original que a Bruna criou é só clicar aqui.

Uma música que te lembre um momento bom: Torn – Natalie Imbruglia

Pra mim é impossível dissociar as lembranças que tenho da minha infância e adolescência sem lembrar da MTV.  Quem assistia o canal no final dos anos 90 e começo dos anos 2000 sabe que as temáticas tratadas por lá iam muito além da música, e por mais clichê que isso possa parecer, a MTV foi uma escola pra mim. Lembro que um dos primeiros clipes que vi por lá foi Torn da Natalie Imbruglia, e além da música ter feito um sucesso imenso na época, ela marcou uma fase super importante da minha vida, que me lembra momentos incríveis.

Uma música que defina sua vida: Legião Urbana – Quase Sem Querer

Apesar da minha música preferida da vida não ser essa (mas calma que ela também tá nessa lista), quando se trata de uma música que retrate minha vida, eu acho que eu poderia colocar aqui uma playlist da Legião Urbana que resumiria tudo muito bem. Escolhi Quase Sem Querer porque talvez ela seja a música que mais tem passagens que me tocam, que toda vez que eu escuto me dão um click e eu penso “é isso que eu tô fazendo” ou “é isso que eu não posso fazer”. Mas, além dela, Tempo Perdido, Por Enquanto, Metal Contra as Nuvens e Teatro Dos Vampiros são músicas que falam o que eu penso, que definem momentos pelos quais eu passei e passo. Uma espécie de vibração que só Legião Urbana e Cazuza tem comigo.

Uma música que te faz dançar na balada: Jessie J. Ariana Grande e Nicki Minaj – Bang Bang

Eu não sou a pessoa mais frequentadora de baladas, digamos assim haha, mas se tem uma música que torna impossível eu ficar parada quando tá tocando, essa música é Bang Bang. Pode ser em casa, na rua (às vezes literalmente), na casa das amigas, não importa o lugar. Tocou Bang Bang, eu encarno a Jessie J (a cantora pop que mais admiro ever) e vou lá dançar loucamente.

Uma música que é tema do seu relacionamento: The Moldy Peaches – Anyone Else But You

Quando tava na fase de amigo-virando-namorado com o Diego, lá nos primórdios de 2009, Anyone Else But You acabou sendo aquela música que nos unia em todas as circunstâncias. A canção acabou virando nossa trilha sonora, e me dá um quentinho bom no peito perceber que o trechinho que na época representava tanto a gente (“You’re a part time lover and a full time friend”), continua tendo o mesmo significado pra nós até hoje.

Uma música que sempre te faz chorar: Led Zeppelin – Stairway to Heaven

Stairway to Heaven é uma das músicas mais maravilhosas que já foram feitas. A letra, os acordes, a mensagem, a forma como ela vai e toca fundo na gente… Tudo está junto na música. Toda vez que a escuto, fico extremamente emocionada e me sinto imersa por cada uma de suas estrofes.

Uma música que seria toque do seu celular: Jessie J – Domino

Pode parecer redundante, mas que culpa tenho eu se Jessie J. é tão importante assim na minha vida? Domino é uma das músicas do seu primeiro álbum, o Who You Are, e como sempre acontece com as letras das suas canções, ela passa uma mensagem bem positiva, algo como ‘dando a volta por cima’. E eu adoro músicas assim! Haha. Além disso, Domino é igual Bang Bang: eu escuto e não consigo não cantar e dançar junto.
“I’m feeling sexy and free like glitter’s raining on me.”

Uma música que você gostaria de tatuar: Tiny Dancer – Elton John

Tiny Dancer é minha música preferida de todos os tempos (ela também é trilha sonora do meu filme preferido de todos os tempos, “Quase Famosos”) e existem dezenas de versões que foram feitas pra ela, desde a que é cantada no filme, até as improvisadas por John Frusciante e Dave Grohl. Apesar de eu adorar essas versões, a original cantada por Elton John, com ele no seu velho piano de guerra, é única pra mim. Foi por ela que eu me apaixonei e é ela até hoje quem me acompanha nos melhores e piores momentos da minha vida. Se eu tivesse que tatuar uma canção, muito provavelmente eu tatuaria “Hold me closer tiny dancer” em uma letra bem pequena, delicada e cursiva.

Uma música que te deixa com vontade de se aconchegar nele: All My Loving – The Beatles

Minha história com o Diego foi construída ao som de Beatles. Eu já amava o quarteto britânico antes disso, mas foi mesmo quando eu o conheci e descobri seu amor pela banda que eu percebi o quão mágica ela de fato era. Lembro até hoje que quando tínhamos acabado de nos conhecer e ele foi entrar no meu blog pela primeira vez, ele conta que tava com And I Love Her aquele dia na cabeça, e que na hora que a primeira foto do site abriu e a música começou a tocar (flogão gente, shame on me), rolou aquele momento de cinco segundos sem ar quando ele percebeu que era essa canção. Depois disso, foram várias as músicas da banda que marcaram momentos do nosso namoro e finalmente em 2010, no Morumbi, pudemos assistir a um show do Paul que foi mágico de um jeito que eu não sei nem botar em palavras.

Uma música que você tá viciada agora: The Hanging Tree – Jennifer Lawrence (The Hunger Games: Mockingjay – part 1)

Fui essa semana no cinema assistir a primeira parte de Jogos Vorazes: A Esperança e além de ter amado o filme e ficado embasbacada em como os produtores conseguiram trabalhar tão bem as cenas do livro (arriscaria dizer que ficou até melhor), The Hanging Tree, trilha sonora do longa, não sai da minha cabeça. Não vou dar spoilers, mas essa música faz parte de uma cena muito importante e absurdamente linda da história, e fez tanto sucesso (e sim, é a nossa amada Jen Lawrence cantando) que já é a mais vendida do iTunes.

Uma música que faz as pessoas lembrarem de você: One Direction – Best Song Ever

Hahaha juro que não tô de brinks, gente. Vocês sabem eu amo One Direction, né, mas como a maioria dos meus amigos não curte a banda, é batata como toda vez que toca alguma música deles ou sai alguma notícia sobre os meninos, sempre rola um “olha lá, Paulinha”. As pessoas sempre associam qualquer coisa que saia na mídia sobre eles comigo e eu acho um barato isso porque acabo ficando informada de tudo haha.

Eu poderia ter trazido qualquer música deles pra cá, mas escolhi “Best Song Ever” porque é meu clipe preferido da banda. Adoro quando ele exploram esse lado mais engraçado nos vídeos, porque acho que ele mandam muito bem nisso.

E por hoje é só, gente. Quem gostou da tag fica a vontade pra responder, lembrando sempre de dar os créditos para o post da Bruna, hein.

Bisous, bisous e boa sexta-feira!

Novo cantinho

Assim como eu já tinha contado lá no facebook, meu feriado não foi pulando Carnaval e nem descansando, mas nem por isso deixou de ser agitado. Tudo porquê finalmente mudei de apartamento, algo que eu queria já fazia um tempão.

www.theyallhateus.com

E olha, fui pega desprevenida, porque nem de longe imaginava que seria tão trabalhoso quanto foi! Não só na mudança literal das coisas, mas também na disposição dos móveis, na arrumação de cada cantinho… Tanto que por erro de logística (sou jornalista gente, desculpa haha) foi preciso sair correndo de última hora pra comprar móveis novos. Mas né, pensei que se era preciso comprar, arrumar tudo de novo, enfim, botar a mão na massa, na mudança, ia fazer da melhor e mais proveitosa maneira possível. E deu tão certo que eu fiquei ainda mais apaixonada por decoração, algo que já fazia um tempão que eu andava me interessando.

Daí que tanta inspiração me deu a ideia de criar uma categoria disso aqui no blog, e até o próximo post espero já ter batido algumas fotos do apartamento pra mostrar em detalhes algumas coisas que eu organizei. São coisas pequenas, mas acho que em decoração (e na vida também) dos pequenos detalhes se fazem os grandes. Como eu não sou perita no assunto vou procurar dividir aqui no blog as descobertas e tentativas de uma novata. Podem parecer coisas bobas, mas se deram certo comigo, vai que tem alguém tão inexperiente quanto eu que não sabe e também pode se aproveitar da ideia?

E o melhor de tudo: a categoria aqui é pra indicar bons links de decoração (sou fã da área de decor do Fashionismo), pra fazer todo mundo suspirar com a beleza de algumas imagens – e também pra gente descobrir como adaptá-las mais realisticamente pra nossa vida – e quem sabe até pra se arriscar em alguns diys. O importante é testar, ser feliz e saber deixar cada canto – da casa, do escritório, whatever – mais a nossa cara e mais aconchegante.

E claro que pra começar, imagens inspiradoras até dizer chega!

– É só clicar que elas abrem numa janelinha e mostram os créditos!

www.feedfloyd.com

http://m.pinterest.com/pin/410601690996150264/

www.cupcakesclothes.com

endlesswinds.tumblr.com

www.girlscene.nl

www.homeadore.com

rcazt1811.deviantart.com

Ah, ideias e dicas de decoração são mais do que bem-vindas! Como eu já disse, sou uma novata no assunto e quero ajuda 😉