Emma Watson na Vanity Fair de março

Já faz mais de um ano desde que Emma Watson anunciou uma espécie de recesso de Hollywood. Na época, quando questionada sobre esse afastamento, Emma foi bem enfática sobre o quanto precisava desse período para se dedicar a uma outra grande prioridade da sua vida: a causa feminista.

Embaixadora pela boa vontade da ONU Mulheres, Emma esteve nesse tempo divulgando pelos quatro cantos do mundo o projeto HeForShe, uma campanha internacional do órgão que busca a igualdade de gênero e o empoderamento feminino. Com um discurso muito belo, forte e corajoso, – e que ela fez questão de levar para a sua vida pública, fosse em suas redes sociais ou mesmo nas aparições que fazia – Emma mostrou um outro lado de si que muitas das pessoas que apenas a conheciam como “a garotinha de Harry Potter”, jamais imaginariam.

Terminado esse um ano, e sem colocar de lado, é claro, tudo que foi conquistado nesse período, a atriz decidiu voltar aos cinemas. E voltar em grande estilo, é importante dizer, já que Emma é a protagonista do live-action de A Bela e A Fera, um dos filmes mais comentados pela imprensa nos últimos tempos.

O longa estreia esse mês e se já não bastasse eu estar muito, muito ansiosa pra ver Emma como protagonista do meu filme preferido da Disney dos anos 90, a atriz ainda me deixou mais empolgada ao aparecer na capa e no recheio da Vanity Fair desse mês falando sobre o longa, sobre seu relacionamento com os fãs, sobre intimidade e, claro, sobre feminismo.

A entrevista na íntegra tá aqui pra quem quiser dar uma olhadinha e eu arriscaria dizer que se você não tem opinião formada sobre a atriz, vai passar a gostar muito mais dela e a entender bem melhor as ações que ela tomou nos últimos anos em relação a sua carreira e a sua vida pessoal.

Além disso, as fotos estão incríveis e tem aquele quê artístico e maravilhosamente maluco do Tim Walker, um fotógrafo que sempre extrapola o mundo real e faz de cada imagem que fotografa um sonho, um acontecimento onírico.

Uma coisa curiosa desse ensaio é que uma de suas fotos gerou uma pequena polêmica no Twitter, trazendo ainda mais à tona a importância de se debater o poder de escolha que nós, mulheres, temos sobre o nosso corpo.

Tudo porque em uma das fotos daqui de baixo, Emma usou apenas um bolero sobre os ombros, deixando parte dos seios à mostra. Isso bastou pra que algumas pessoas começassem a criticar a atriz, apontando a imagem como uma atitude hipócrita vinda de alguém que defende o feminismo.

Bizarro, eu sei.

Só que em tempos assim, onde movimentos sociais tão necessários de existirem ganham distorções absurdas, nossa eterna Hermione Granger soube ser simples e muito sábia na sua resposta “Isso sempre me mostra quantos equívocos e mal-entendidos existem sobre o que é o feminismo. Feminismo significa dar escolhas às mulheres. Feminismo não é um bastão que você usa para bater em outras mulheres. É sobre liberdade, libertação, igualdade. Realmente não sei o que os meus seios têm a ver com isso.”

Emma Watson na Vanity Fair de março

Emma Watson na Vanity Fair de março

Emma Watson na Vanity Fair de março

Emma Watson na Vanity Fair de março

Emma Watson na Vanity Fair de março

E pra quem terminou de ver essas imagens e, assim como eu, acha que tá pouco de Emma Watson, pode mandar mais, fica a dica pra acompanhar o novo perfil que a atriz criou no Instagram pra mostrar os looks que ela têm usado na divulgação de A Bela e a Fera. A ideia é falar sobre os estilistas que estão por trás de cada peça e, assim, ajudar a divulgar o trabalho de pessoas quer possuem um trabalho eco-friendly, e acreditam na sustentabilidade e no comércio justo.

Ou seja, como não amar essa mulher?

Bisous, bisous

Revistas de Setembro #1 2015

Assim como fiz em outros anos, nesse mês vai rolar uma série de posts aqui no blog mostrando as capas das revistas de moda mais incríveis de setembro. E pra casar com o clima e finalmente desengavetar uns textos que eu queria escrever por aqui faz tempo, vão haver também outros posts sobre revistas, não necessariamente “de moda”, mas que têm me inspirado muito!

É só ficar de olho por aqui e acompanhar todos os próximos capítulos (:

Na sua edição de outono-inverno 2015 e que chega agora em setembro nas bancas, a Love Magazine aparece de novo com várias capas diferentes e muito belas pra gente suspirar e ficar na dúvida de qual mais gostou. Dessa vez quem estampa as sete diferentes capas da revista é o personagem C-3PO de Star Wars, a atriz Alicia Vikander, a cantora Cher, as supermodels Kate Moss e Gisele Bundchen, a maravilhosa Florence Welch e a modelo Poppy Delevigne, que pelo sobrenome famoso já entrega que é sim irmã de Cara.

Todas sob o selo de “The Talents”, as capas da revista apostam como sempre em imagens pops e conceituais, e que trazem pessoas ou personagens que estão mais do que nunca na boca do povo.

Gostei demais da capa do C-3PO, e achei a da Gisele tão diferente de tudo que sempre fazem questão de mostrar e falar sobre ela, que a capa já me ganhou só pela vontade de sair desse mais do mesmo.

Eu não sei nem muito bem por onde começar a falar dessa capa da Vanity Fair com a Taylor Swift. Na real, essa edição merecia um post só sobre ela, porque além da própria capa, as imagens do seu recheio estão espetacularmente lindas.

Fotografada pelo Mario Testino em Londres, em um lugar chamado Beaufort Bar, a capa mostra uma Taylor adulta, poderosa e sexy. Uma imagem que eu ainda tenho dificuldade de enxergar nela, pra ser bem sincera, mas que para o editorial da revista convenceu e não deixou nenhum pozinho de dúvidas pra trás. O figurino é apenas maravilhoso, e tem um bocado de pernas à mostra, bocão vermelho e poses dramáticas nas fotos.

Além de tudo isso, a minha atenção foi também para essa entrevista gigantesca que a revista fez com ela e que dá pra ler nesse link aqui. Se você assim como eu ainda tá praticando esse exercício de tentar entender a cantora, acho que vale muito a pena dar uma olhadinha em tudo que ela falou.

Além de gostar de toda a beleza envolvida por trás de uma capa de revista, eu sou uma pessoa extremamente influenciável pela pessoa que tá ali estampadinha nela. Isso quer dizer que se eu gosto da pessoa, já é meio caminho andado pra eu gostar pelo menos um pouco da capa em que ela aparece, mas, se em contrapartida eu não gosto da tal pessoa, aí, bem, aí as coisas ficam de fato complicadas.

Isso tudo quer dizer que se a capa da Elle UK me conquistou é porque pra mim ela realmente tá destruidora, já que Kristen Stewart definitivamente tá na lista de pessoas que eu não vou muito com a cara. As cores dessa edição tão vibrantes de um jeito bom, de um jeito que dá poder para a capa, que faz com que ela fique magnética. Aliás, a escolha de cores pro look da Kristen, nesse color block maravilhoso, foi certeira.

As fotos foram feitas em Los Angeles e nesse vídeo aqui dá pra ver o behind the scenes do ensaio.

Em breve posto mais imagens que eu amei, mas já queria saber de vocês: que capa de revista de setembro fez vocês pirarem?

Bisous, bisous e um bom começo de mês pra todos nós.