Mulberry

Mulberry - verão 2014“Essa casa que construímos juntos, tijolo por tijolo, pedra por pedra, essa casa que chamamos de lar.”

O começo do desfile da Mulberry foi assim, com a declamação de uma frase que deve significar muito do que a Emma Hill, sua diretora criativa, sente em relação a marca. E esse tanto de amor escancarado tinha um motivo bem triste por trás de si: depois de 6 anos de sucesso (quem não se apaixonou por alguma de suas bolsas-desejo que atire a primeira pedra), Emma disse adeus a Mulberry.

Apesar de muita gente ter reclamado da falta de um desfile mais elaborado pra marcar essa despedida, eu acho que faz total sentido eles terem optado por esse “mais do mesmo” (ainda que eu ache que a Mulberry nunca faz um mais do mesmo) pra sua coleção. Foi uma despedida de gente que ama o que faz, de gente que quer sair de cena levando a melhor e mais nítida lembrança da essência da marca.

Por isso mesmo, nesse verão 2014 da Mulberry o que não faltou foram peças bem femininas, que mesmo com o DNA tão esportivo que tá em tudo quanto é desfile internacional dessa temporada, continuaram com aquele ar de pretty woman que eles fazem tão bem. E se em umas horas do desfile nós somos bombardeados com estampas que vão das listras aos florais, – uns liberty, uns mais disfarçadinhos que você só via quando chegava perto, e uns escancarados e gigas – em outras a gente morre de amores pelos blocos de cores, que apostaram com tudo no total white, preto e tangerina.

Ps: e esse cãezinhos, gente?! Não consigo lembrar o nome dessa raça, mas essa carinha amassada dá vontade de apertar haha.

Christopher Kane

Sempre fico de olho bem aberto nos desfiles do Christopher Kane porque acho que o sucesso que ele faz em Londres não é a à toa, e também porque sempre espero ver uma nova febre na sua passarela como aconteceu com as camisetas de estampa de gorila que apareceram na sua coleção de 2008.

Dessa vez o conceito da coleção do estilista é um pouco mais difícil, não tão a cara das ruas como já foram algumas de suas apresentações. Daí você me pergunta: ué, mas ele não apostou no floral? Quer tema mais “comum” do que esse? Sim, meu caro Watson, ele apostou no floral, mas um floral que vem de forma lúdica, que às vezes parece até trazer a didática de uma aula de biologia (você lembra do estilete, pétala, estigma e todas as outras partes da flor?). Tinha até uns recortes mutos loucos tipo esse da primeira foto que às vezes apareciam em toda a roupa, revelando umas partes da pele não tão comuns assim de ficarem ao ar livre haha.

E Christopher Kane não tem medo de brincar com seu tema não. Mistura cores, flores “normais” com vazados que no todo formam um grande buquê, escritos garrafais nos vestidos e moletons e até uma técnica super diferenciada que eu não conhecia, fui pesquisar e descobri que é tipo uma fusão de vários tecidos em um só, depois de passarem por uma prensa bem quente.

Um pequeno chacoalhão em meio aos desfiles dessa temporada.

Burberry Prorsum

Burberry Prorsum - verão 2014Lembra daquela época em que os candy colors dominaram tudo quanto era desfile e começaram a aparecer que nem epidemia nas ruas? Então, pode até ter passado um tempinho desde aquilo, mas a Burberry parece não se importar muito e mostra que novo hit ou não da temporada de verão 2014, o candy color da suas peças é sim para ficar de vez (e a gente amar!). Quando não são eles que aparecem, são as listras e os poás, e aí eu fico querendo tudo, absolutamente tudo pro meu guarda-roupa.

Essa coleção é inspirada em uma menina muito romântica. Muito. Mas esqueça aquela menina romântica que ficava trancada dentro de casa esperando pelo príncipe encantado. Essa daqui da Burberry é a menina romântica que desfila pelas ruas da cidade com um sorriso de orelha a orelha, que gosta de mostrar um pouco de transparência, mas que em meio a essas cores tão clarinhas nem fica muito sexy. Essa menina aqui come macaron rapidinho no café, mas daí quando precisa se arrumar pro trabalho deixa de lado as cores claras e investe numa boa mistura de estampas, com direito a uma altura de saia chiquérrima e um óculos bapho. Ela ama brilho, mas ao invés de usar tudo bem discretinho como a romântica do passado fazia, ela vai lá e usa umas pedras gigas, pra não passar despercebida.

Gente que inspira e cria identificação logo de cara, sabe como é, né? <3

Tom Ford

Que desfile mais sexy, mon dieu! Enquanto todo mundo tava apostando em cores claras, florais e uma pegada esporte, Tom Ford decide ser o dono da festa que ficou faltando. Os vestidos encurtaram e ajustaram (e como ajustaram!), os brilhos vêm sem medo, as transparências deixam as pernas todas à mostra e até o couro e a estampa de cobra entram na dança. Tem até umas opções com casaco de pele pra hora que você sair da festa não passar frio, o que deixa a gente com a certeza de que nesse verão Tom Ford fez de cabo a rabo uma coleção extremamente forte, poderosa, com um sex appeal que aparece até nos looks discretos, se é mesmo que eles existem.

Encerrando o quarto dia de London Fashion Week com a moda gostosa e ousada que é a cara do estilista.

Créditos das fotos: FFW/ImaxTREE

Ps: Se clicar nas imagens, elas abrem maiores em uma janelinha aqui dentro do blog mesmo!

Bisous, bisous