Os filmes de terror no Oscar #aquecimentoOscar

Ainda que quando o assunto seja cinema eu goste de acompanhar um pouquinho de tudo, longa-metragens de terror são, de longe, o tipo de filme que eu mais assisto. E, talvez por isso mesmo, o fato desses filmes serem bastante desvalorizados dentro da indústria sempre foi algo que me incomodou (e ainda incomoda) muito.

Os filmes de terror no Oscar #aquecimentoOscar

Ninguém precisa ser cinéfilo de carteirinha pra perceber como os filmes de terror são tratados muitas vezes como o patinho feio dos gêneros cinematográficos. É como se eles sempre fossem avaliados já com alguns pontos a menos só por fazerem parte dessa lista, saindo um pouco atrás da largada quando comparados a gêneros como drama e romance.

Além de grande parte das produções não serem levadas a sério, é de incomodar o fato de muitos filmes de horror serem olhados como puro entretenimento de má qualidade, sem uma avaliação crítica e séria do que está sendo mostrado – e talvez até mais importante do que isso, de como está sendo mostrado.

Não me entendam mal, existem inúmeros filmes de terror ruins. O grande problema é que existem filmes ruins em qualquer gênero, mas, aparentemente para a crítica, quando estamos falando de filmes de horror, essa é a regra, e não a exceção.

Os filmes de terror no Oscar #aquecimentoOscarFalando dessa situação especificamente no Oscar (o que pra mim é apenas um espelho de como a crítica em geral trata o gênero), recentemente li um texto bem interessante do cineasta Daniel Bydlowski que fala exatamente sobre esse “preconceito” que os filmes de horror sofreram por muito tempo na premiação.

Uma das coisas mais interessantes dele, no entanto, é mostrar como as coisas vem mudando, e como a academia – que sempre priorizou filmes de drama -, parece finalmente estar abrindo os olhos para outros gêneros. E isso não apenas devido a mudanças políticas e sociais, mas também da própria indústria, que hoje em dia possui um público muito mais fragmentado devido as diversas formas de se consumir cinema.

Aproveitando todo esse gancho e o fato de termos um filme de terror concorrendo a melhor filme do ano no Oscar (falo mais sobre “Corra!” no finalzinho desse post), decidi escrever um pouquinho sobre todos os filmes que já concorreram nessa categoria da premiação – e também sobre o único que até hoje conseguiu levar a estatueta para casa. É uma pequena, mas poderosa lista.

O Exorcista (1974)

 

Os filmes de terror no Oscar #aquecimentoOscar

O Exorcista, de 1973, além de ser um dos filmes mais populares do gênero, é o único filme dessa lista classificado exclusivamente como terror (mais especificamente como terror sobrenatural). Além de suas indicações e vitórias no Oscar, ele também conquistou diversos prêmios no Globo de Ouro, como melhor filme de drama, melhor diretor, melhor atriz coadjuvante e melhor roteiro.

Baseado em um livro escrito por William Peter Blatty, o filme conta a história da pequena Regan, uma garota de 12 anos que é possuída pelo demônio. Sua mãe, desesperada com o comportamento da filha, pede ajuda de um padre, que chama um exorcista profissional para lidar com a garota.

 

Tubarão (1976)

Os filmes de terror no Oscar #aquecimentoOscar

Tubarão, de 1975, conta a história de uma praia turística dos EUA onde os banhistas passam a sofrer ataques mortais de um tubarão-branco, o que faz com que o chefe da polícia da cidade, um biólogo e um caçador de tubarões unam forças para caçá-lo.

O filme, que é dirigido por Steven Spielberg, teve sua trilha sonora criada por John Williams (um dos compositores mais famosos e premiados do Oscar) fazendo com que uma das suas músicas, a que é tocada durante os ataques do tubarão, se tornasse uma referência de “temas de suspense” na história do cinema.

O silêncio dos inocentes (1992)

Os filmes de terror no Oscar #aquecimentoOscar

Baseado em um livro homônimo escrito por Thomas Harris, o filme O Silêncio dos Inocentes, de 1991, é até hoje o único longa-metragem de terror a ganhar como melhor filme do Oscar. Ele conta a história de Clarice Starling, uma investigadora do FBI escalada para descobrir o paradeiro de um serial killer chamado Buffalo Bill. A fim de entender como funciona sua mente, Clarice começa a entrevistar o Dr. Hannibal Lecter (personagem que já havia aparecido no filme “Caçador de Assassinos”), um ex-psiquiatra e assassino condenado à prisão perpétua.

Com uma trama que usa e abusa do terror psicológico para construir sua narrativa, o filme foi extremamente aclamado pelo público e pela crítica, e acabou ganhando uma sequência, “Hannibal”, e dois prelúdios, “Dragão Vermelho” e “Hannibal – A Origem do Mal”.

O sexto sentido (2000)

Os filmes de terror no Oscar #aquecimentoOscarCom um dos finais mais surpreendentes da história do cinema, O Sexto Sentido, de 1999, conta a história do psicólogo infantil Malcolm Crowe, um profissional que tenta ajudar um garotinho solitário que diz ser assombrado por pessoa mortas. Concomitante a isso, o psicólogo também enfrenta problemas pessoais, vivendo em um casamento problemático onde sua mulher se recusa a falar com ele.

O longa, que consagrou de vez a imagem do pequeno Haley Joel Osment no cinema (depois de O Sexto Sentido, o garotinho ainda brilharia em “A Corrente do Bem” e “A.I. – Inteliigência Artificial”), foi indicado também ao Globo de Ouro nas categorias de melhor ator coadjuvante e melhor direção.

Cisne Negro (2011)

Os filmes de terror no Oscar #aquecimentoOscarCisne Negro, de 2010, possui um enredo que explora o suspense e o terror psicológico, e que conta a história de Nina, uma bailarina extremamente dedicada e entregue à profissão. Em busca de conseguir o papel principal de uma produção do balé O Lago dos Cisnes, – onde interpretaria tanto o bondoso Cisne Branco quanto o malvado Cisne Negro -, Nina se vê sob um stress tremendo, especialmente quando uma nova bailarina chega na companhia e passa a disputar o papel com ela. Com seu emocional forçado ao extremo, a dançarina começa a sofrer alucinações e não distinguir mais realidade de fantasia.

Corra! (2018)

Os filmes de terror no Oscar #aquecimentoOscar

Indicado ao Oscar de melhor filme desse ano e aumentando essa lista tão poderosa de filmes de terror, Corra!, de Jordan Peele, é um dos longas do gênero mais inteligentes que me lembro de já ter assistido. Além de fazer uso do terror psicológico e do suspense, ele se vale de elementos sarcásticos para ditar o tom do filme, fazendo uma crítica feroz ao racismo ainda tão presente em nossa sociedade.

Tudo começa quando Chris, um jovem negro americano, viaja durante um final de semana com sua nova namorada para conhecer os pais dela que moram no interior. A família da garota, branca e bastante endinheirada, parece amigável em um primeiro momento, mas acaba inquietando o rapaz, que pecerbe que algo estranho está acontecendo no lugar.

Com um desenrolar brilhante e uma atuação fantástica de Daniel Kaluuya, Corra! é, até agora, meu filme favorito para levar a estatueta para casa (ainda preciso assistir “Três anúncios para um crime” e “Trama Fantasma”), e, espero, um exemplo importante para a academia do enorme potencial que longas de terror possuem.

Beijos e até já, já, com mais #aquecimentoOscar

TAG do Halloween

A Karol Pinheiro traduziu lá no canal dela uma tag de Halloween com 13 perguntas (claro!) sobre monstros, vilões, medos e até superstições, e como eu gosto demais de Halloween e não resisto a uma boa tag, tomei a liberdade de respondê-la aqui e deixar o convite pra todo mundo fazer o mesmo, independente da data já ter passado ou não. Festa legal não tem problema de estender um pouco a comemoração, não é mesmo? 😛

Ilustração por Iban Barrenetxea

1. O que você não gostaria de encontrar a noite em uma floresta?

Acho que pra começar eu não gostaria nem de estar a noite em uma floresta. Tanto lugar incrível e divertido (e nisso eu incluo o combo “minha cama mais Netflix”) e eu vou estar justo em uma floresta?! Mas se o caso for mesmo esse, acho que o que eu definitivamente não gostaria de encontrar é algum espírito maligno andando por aí. Zumbis, vampiros, bruxas ou qualquer outra coisa do tipo não seriam nem um pouco agradáveis também, é claro, mas acho que encontrar alguém do além mundo que definitivamente não tá aqui pra me fazer bem, me deixaria em um pânico tão grande que eu travaria, desmaiaria, morreria de medo antes mesmo de qualquer coisa acontecer.

2. Qual o seu monstro ou vilão preferido?

Existem vilões tão maravilhosos, com o perdão da palavra, que fica difícil escolher apenas um. Desde Jack Nicholson em O Iluminado, até o Coringa de Heath Ledger, passando pelo Alex de Laranja Mecânica e o Hades do desenho do Hércules, a lista é longa. Mas se eu tivesse que escolher apenas um vilão, ou no caso uma vilã para apontar como meu preferido, acho que acabaria ficando com Bellatrix Lestrange de Harry Potter.

Nos livros ela já tem uma personalidade tão forte, tão assustadoramente maluca, – mas ao mesmo tempo extremamente inteligente – que com a atuação da Helena Bonham Carter isso foi elevado a enésima potência! Ela é uma vilã completa, do tipo que te assusta e te envolve de uma tal maneira, que ainda que você não torça a seu favor, há um reconhecimento tácito do quão grande é a sua força e personalidade.

3. Qual foi a coisa mais assustadora que já aconteceu quando você estava sozinha?

Nem faz muito tempo assim, tomei o maior susto da vida quando saí do banho e descobri a janela do meu quarto aberta, sendo que eu lembrava de já tê-la fechado. O mais assustador é que a única maneira de abri-la seria mesmo por dentro, já que eu sempre fecho minha janela com uma tranquinha interna.

Depois de me convencer de que eu devia tê-la aberto e esquecido disso, fiquei verdadeiramente paralisada de medo quando no dia seguinte a mesma coisa aconteceu, sendo que eu tinha verificado a janela antes de entrar no banho. Fechei a janela, procurei por alguém escondido na casa toda e já tava com a certeza de que tinha um espírito dentro do meu quarto, quando vi que um dos meus gatos estava, – acreditem ou não – abrindo a janela com a patinha. Ele não só aprendeu a abrir a tranca, como esperava eu sair de perto pra poder ir passear belo e formoso na garagem.

Ilustração por Drazen Kozjan

4. Se te desafiarem a dormir em uma casa mal-assombrada, você toparia?

Jamais! Vejam bem, eu sou fissurada em filmes de terror, especialmente em histórias que envolvem casas do gênero, mas uma coisa é assistir uma história (que a gente torce pra ser fictícia) e uma outra bem diferente é virar protagonista de um conto do tipo. Tô passando bem longe disso, acreditem.

5. Você é supersticiosa?

Eu acho que não. Nunca liguei pra essa coisa de passar embaixo de escada ou de deixar chinelo com a sola pra cima. Já quebrei espelho, inclusive, e os últimos anos tem ido muito bem, obrigada. E nem vamos entrar no mérito de que gato preto dá azar, né, porque não apenas é horrível ficarem com a essa superstição boba com o pobre do bichinho, como ainda tem gente desalmada no mundo que chega a judiar do animal. Sério, é um absurdo sem tamanho, uma falta de sensibilidade, humanidade mesmo, que nem dá pra descrever.

6. Você acredita em universos paralelos?

Não que eu ache que nós estamos à merce de sermos invadidos a qualquer momento, seja por ~seres de outros planetas~ ou forças sobrenaturais, mas, ao mesmo tempo, acho que é muita, mas muita soberba mesmo da nossa parte acreditarmos que estamos sozinhos aqui, em um mundo tão gigantesco e complexo. A gente acha que sabe muito, mas o muito que a gente acha que sabe é tão minúsculo e tão cheio de incertezas, com respostas atribuídas a religiões e misticismos, que de fato não sabemos quase é nada.

Talvez no futuro as pessoas consigam descobrir mais concretamente coisas sobre outros universos e seres por aí, mas, por enquanto, ao menos pra essa nossa geração, o que ficam são um monte de dúvidas, perguntas não respondidas e um “mas e se” constante na nossa cabeça.

7. Você se assusta facilmente?

Muito! Sou do tipo que pula da cadeira, que o coração quase salta pela boca, que dá um grito de puro terror e que precisa parar uns segundinhos pra respirar quando alguém inventa de pregar uma peça.

8. Você iria a um cemitério à noite?

Acho que eu iria sim, desde que é claro houvesse um motivo minimamente plausível pra isso. Nem tenho tanto problemas assim com cemitérios, ainda que eles não sejam um lugar que eu goste de ir nem nada do tipo.

9. Você prefere ir a uma festa de Halloween vestida de monstro ou uma festa a fantasia vestida bonitinha?

Em festas de Halloween, fantasias dessas bem monstruosas são o que há de melhor. O problema é que, sendo bem sincera, eu nunca me esforço o suficiente pra fazer uma fantasia legal assim haha. Não sei fazer maquiagens mirabolantes, não tenho nenhuma roupa super assustadora e nem me acho tão criativa assim pra bolar algo do zero e fazer total handmade. Então acaba que quase sempre eu opto pelo mais básico e acabo indo numa mistura de “vou tentar surpreender um pouco” com roupa bonitinha.

10. Em um filme de terror você é a menina que morre primeiro, a sobrevivente ou a assassina?

Bem que eu queria dizer que sou a sobrevivente, aquela personagem bem fodona que enfrenta o assassino e de quebra ainda salva uns amigos. Mas a verdade é que muito provavelmente eu sou a menina que morre primeiro.

Eu não sei atirar, tenho quase nada de força nos braços e tenho um péssimo fôlego pra correr, ou seja, o tipo ideal pra aparecer nos cinco primeiro minutos do filme e terminar a carreira por aí mesmo.

11. Com quantos anos você assistiu seu primeiro filme de terror?

Pra ser sincera eu não lembro quantos anos eu tinha ou qual filme de terror assisti, mas se eu tivesse que chutar, diria que provavelmente foi algum filme do Tim Burton.

Eu tenho umas memórias muito antigas de filmes desse diretor, especialmente de Edward Mão de Tesoura (não à toa um dos meus longas preferidos da vida). E já imagino que você vá dizer que Edward não é um filme de terror propriamente dito, o que eu tenho que concordar, mas, ao mesmo tempo, se a gente for parar pra pensar, a história toda é tão macabra e o personagem é de uma peculiaridade tão grande, que seria natural que uma criança se assustasse com ele, assim, à primeira vista.

Mas eu sempre gostei de Edward, sempre achei ele uma figura que inspirava muito mais compaixão do que medo, muito mais coisas boas do que sustos. Acho que talvez por isso, filmes e personagens de terror tenham entrado de maneira tão tranquila na minha vida e me feito gostar tanto do gênero.

12 . Qual foi a primeira fantasia de Halloween que você usou na vida?

Se não me falha a memória, foi de bruxa em uma festa da escola. Nenhum figurino muito elaborado, é verdade (meu histórico de fantasias não muito mirabolantes vem de longe como vocês podem perceber), mas uma bruxinha que dava pro gasto.

13. Se você pudesse ter um animal de estimação de Halloween, qual seria: um gato preto, uma coruja, um morcego ou um lobo?

Ainda que eu ache lobinhos de uma fofura indescritível, – e esquecendo, é claro, toda a parte de que ele provavelmente me comeria – ainda assim eu escolheria um gato preto. Aliás, não só escolheria, como escolhi, já que eu tenho uma gatinha preta linda, toda pimposa e dorminhoca. E quando eu digo dorminhoca é dorminhoca mesmo, do tipo que fica o dia todo dormindo e só acorda pra comer. Aaahh, gatos <3

Enfim, como falei lá em cima, fiquem a vontade pra responder essas perguntas também e lembrem de aproveitar esse restinho de Dia das Bruxas pra comer doces (me enchi de caramelo hoje haha), pregar um susto em algum amigo ou ver um filme bem assustador.

Bisous, bisous e boa semana!

Mês literário do horror

Inspirada pela Tati Feltrin do Tiny Little Things, resolvi também fazer aqui no blog um “mês literário de horror/terror”!

A ideia é ler apenas livros desse gênero durante o mês de outubro e, no final do mês, voltar aqui em outro vídeo pra resenhá-los. Pra acompanhar o que eu tô lendo ~em tempo real~ é só ficar de olho na página do blog, onde eu vou contando minhas impressões de cada um deles ao longo das leituras.

Por enquanto, gravei um vídeo explicando melhor como vai funcionar tudo isso e também contando quais os livros que escolhi pra ler esse mês. Agora, fica aqui o desafio pra vocês de também embarcarem nessa ideia e só lerem livros de terror durante esse mês! Quem topar, faz um post ou grava um vídeo contando o que vai ler (lembrando sempre de linkar a Tati, de quem é a ideia original) e, se quiser, deixa o link aqui. Tô doida pra saber o que vocês vão escolher!

E ah, se gostou da ideia não se esqueça de curtir o vídeo e se ainda não segue o canal do blog, corre lá já pra se inscrever 😉

Bisous, bisous