Se existe uma peça de roupa que soube se fazer presente em diferentes décadas, transitando pelos mais diversos espaços, modismos, culturas, tribos e estilos, essa peça foi a saia xadrez. Cá para nós, é bastante considerável a quantidade de saias com esse tipo de estampa que durante o último século (e até mesmo antes dele!) se tornaram conhecidas, ficando associadas a alguma personalidade, representando um grupo de pessoas ou até fazendo parte de um determinado “código” de vestimenta.

Brigite Bardot

Um dos exemplos mais famosos e antigos dessa lista é o kilt, a tão conhecida saia escocesa. Ainda que tenha surgido com um formato diferente, – lembrando muito mais uma capa do que uma saia, e ficando grudado ao corpo -, durante o século XVIII ele se transformou na saia de pregas de tartã que estamos acostumados a ver hoje em dia, se tornando um símbolo de identidade nacional e parte da cultura escocesa.

Muitos anos depois, lá pela década de 30 e em um outro lugar do planeta, foi a vez da estilista Coco Chanel ter a sua história entrelaçada a da saia xadrez. Essa peça, inclusive, foi um dos maiores sucessos da carreira da designer, algo bastante admirável de se alcançar quando estamos falando de alguém que revolucionou a forma das mulheres se vestirem. A saia em questão, que fazia parte de tailleurs lançados pela estilista, era feita de pied de poule (pé de galinha, em tradução literal), um tipo de estampa xadrez em que os quadrados ficam separados. Ela fez tanto sucesso na época (e ainda por muito e muito anos depois) que os conjuntinhos com essa padronagem se tornaram uma referência do estilo da marca.

Quem também soube imortalizar sua imagem ao lado de uma saia xadrez foi a musa Brigitte Bardot. Fã incontestável do vichy (aquela padronagem das toalhinhas de piquenique), Brigitte vivia aparecendo com esse tipo de peça em todas as aparições públicas que fazia. Ela usou uma saia dessas, inclusive, em uma cena musical do filme “Voulez-vous danser avec moi” e na sua cerimônia de casamento(!), quando apareceu com um vestido de noiva inteirinho dessa estampa.

E não pensem vocês que as coisas pararam por aí e que a saia xadrez viu seus últimos dias de glória na década de 50. Nos anos 90, essa peça ressurgiu com força total, aparecendo, curiosamente, em looks de duas “tribos” completamente diferentes.

Saias da Rosegal

De um lado o movimento grunge das bandas de Seattle, que quebrou as barreiras da música e passou a ditar também o comportamento de grande parte dos jovens. Além das famosas camisas com essa estampa, a saia xadrez virou um verdadeiro “uniforme” do estilo, aparecendo em uma quantidade infindável de editoriais de moda da época.

Do outro lado dessa história, em uma versão muito mais pop e menos rocker, estava a saia amarela xadrez usada por Alicia Silverstone em As Patricinhas de Beverly Hills. Um verdadeiro hit dos anos 90, essa peça influenciou uma legião de fãs e consagrou esse figurino como um dos mais lembrados até hoje na história do cinema.

Saias da Rosegal

Corta para 2018 e a saia xadrez continua a fazer bonito. Nas passarelas do SPFW, no começo do ano, foi o xadrez, inclusive, a estampa que mais esteve presente nas coleções apresentadas, fazendo com que as saias dessa padronagem ganhassem um novo boom nas lojas do país. A mistura com outras estampas, como o floral, se tornou a grande novidade da vez, fazendo com que a peça seja perfeita para looks mais alegres e descontraídos.

As peças de catálogo que ilustram esse post são inclusive uma amostra bem legal de como a saia xadrez vem sendo usadas nessa temporada. Elas são todas da loja online Rosegal e você pode ver mais detalhes delas aqui.  Já estou apaixonada por vários modelos e acredito que vocês também vão ficar, afinal, é difícil resistir ao charme de uma saia xadrez, né? :)

Beijos e até mais!