Revistas de setembro #3 2015

Outubro já tá quase dando às caras, mas ainda dá tempo de fazer um último post com três capas de revistas que arrasaram em setembro – e que eu não podia deixar de fora daqui do blog!
E pra quem perdeu o primeiro e o segundo post dessa micro série, é só clicar nos respectivos links.

Nesse mês a Harper’s Bazaar arrasou em dose dupla, já que tanto na sua capa que foi para as bancas quanto na sua capa de assinante, ela trouxe duas imagens super lindas, divertidas e originais. Em ambas, a cover girl da edição é a Katy Perry, – que inclusive acabou de fazer um showzaço aqui no Rock in Rio – e eu fiquei completamente dividida entre as duas, sem saber por qual fiquei mais apaixonada.

Enquanto na edição que foi para as bancas a Katy tá bem drama queen, na de assinante ela aparece em cores vibrantes e numa brincadeira de colagem, encarnando ninguém menos do que a lendária Elizabeth Taylor.

A foto faz parte de um dos editoriais que recheiam a revista, onde diversas celebridades como Willow Smith (de Kali), Mariah Carey (de Maria Antonieta) e Oprah Winfrey (de Glinda de O Mágico de Oz) dão vida a grandes ícones, sob o comando de Carine Roitfeld e Jean-Paul Goude.

Capa que foi para as bancas

Capa que foi para as bancas

 

Capa para assinantes

Capa para assinantes

Gente, eu amei as cores da capa da Seventeen desse mês!

Apesar da pegada da revista ser quase sempre a mesma, dessa vez achei que tanto a escolha das cores quanto o próprio look usado pela Iggy tão mais doces, menos posudos e não forçando tanto uma imagem de garota-perfeição, sabem?

Achei legal também que no miolo a revista trata bastante da cirurgia plástica no nariz que a Iggy Azalea fez, mas, ao invés de trazer isso como uma espécie de “fofoca”, ela fala sobre questões como aceitação do nosso corpo, imperfeições (que todo mundo tem) e sobre como é importante levar esse procedimento cirúrgico a sério, sem, no entanto, entendê-lo como uma uma falha ou uma vergonha.

“Plastic surgery is an emotional journey (…) It’s no easy feat to live with your flaws and accept yourself—and it’s no easy feat to change yourself. Either way you look at it, it’s a tough journey. There are things that I didn’t like about myself that I changed through surgery. There are other things I dislike but I’ve learned to accept” diz Igyy no miolo da revista.

Pode querer pra ontem esse cabelo da Rosie?

Sério, fiquei meio embasbacada por ele e por esse vestido maravilhoso que ela tá usando na capa da Harper’s Bazaar UK. O modelito é Prada, e o editorial estrelado por ela no miolo da edição foi fotografado por Alexi Lubormirski e teve styling de Miranda Almond.

Eu amo a mistura que a revista fez de rosa e azul bebê na capa, e apesar dela não ser “muito trabalhada” ou de não trazer nada muito extraordinário, acho que aqui o simples conseguiu me cativar. É uma imagem fresh, gostosa de ver, descomplicada e sofisticada ao mesmo tempo. Eu gosto disso e gosto desse tantinho de pele a mostra que deixa a capa ainda mãos jovem e leve.

E me contem agora vocês. Quais as capas das revistas de moda desse mês que você mais amaram?

Bisous, bisous

Revistas de setembro #2 2015

Em setembro, no blog, tá rolando uma série de posts com as capas das revistas de moda mais legais do mês. Para ver a primeira parte, é só clicar aqui.

A Interview desse mês botou na capa e no recheio da edição um dos temas mais falados – e vividos – do momento: a superexposição nas redes sociais, nesse espécie de reality show que nós mesmo gravamos, editamos e protagonizamos todos os dias.

Para ilustrar o assunto, nada melhor do que os grandes sucessos da internet. Gente que tem uma legião de seguidores no Instagram e em todas as outras redes, e que viraliza cada vírgula ou cada foto postada.

Uma lista com 100 dessas personalidades é apresentada na edição, e dela, oito pessoas foram escolhidas para terem uma selfie estampando a capa da revista: Miley Cyrus, Madonna, Zayn Malik, Selena Gomez, Kim Kardashian, Jennifer Lopez, Victoria Beckham e Mert Alas

O resultado é que a edição de setembro da Interview vem com oito capas nada convencionais, mas superinteressantes para o mercado. Já escolheu a sua preferida?

Apesar de já ter feito um post inteirinho dedicado a essa edição maravilhosa da W de setembro, eu precisava muito colocá-la aqui como uma das minhas capas preferidas desse mês.

No post que fiz falando sobre ela, contei que além de Gigi Hadid estar estampando a capa e o miolo da edição, a revista ainda aproveita esse gancho pra discutir o fenômeno das novas modelos que vem fazendo um sucesso estrondoso nas redes sociais (olha elas aí de novo!). A grande diferença é que esse fenômeno acontece antes mesmo delas estourarem como modelos, quase que em um processo inverso ao que sempre estivemos acostumados. Algo como “modelos que fazem sucesso porque são um sucesso”, sabem?

Além disso, achei de muito bom gosto as cores e a foto da capa, assim como todas as imagens que estampam o editorial estrelado por Gigi.

É daquela edições que eu queria demais ter uma aqui do lado pra passar a tarde toda lendo.

Não é a primeira vez que a linda da Emma Watson estampa a capa da Vogue UK, mas nessa sua segunda cover ela tá ainda mais linda, mais imponderada e inspiradora. Na chamada de capa da revista ela é inclusive chamada de “a voz de uma geração”, o que se torna muito plausível quando a gente pensa no trabalho fantástico que a atriz vez desenvolvendo desde o ano passado quando foi nomeada embaixadora da boa vontade da ONU Mulheres.

À frente da campanha HeforShe, que mais do que trazer à tona um debate saudável e necessário sobre a igualdade de gêneros, convoca os homens a se envolverem nessa luta, Emma vem emocionando e fazendo um trabalho sensacional, de orgulhar qualquer mulher. Ela se tornou de fato uma voz importantíssima pra essa geração que a viu crescer – e cresceu junto com ela – em frente às câmeras.

Além de estampar a capa da revista – Emma foi fotografada por Josh Olins em um vestido branco e dourado de jacquard belíssimo da Stella McCartney – a Vogue Uk também liberou um vídeo em que Emma e outras personalidades falam sobre a importância do feminismo e da igualdade de gêneros.

O que seria maravilhoso por si só, se torna ainda mais especial por estar sendo debatido em uma revista de moda e alcançar um público gigante de mulheres. Obrigada, Emma!

Bisous, bisous

Os cinco de abril 2015

Todas as fotos desse post são do meu instagram @paulinhav.

Muitas leituras de moda!

Aos poucos tô colocando minhas leituras de moda em dia, e olha que não é pouca coisa não! Além dessas revistas que comprei na viagem (mostrei um pouquinho mais delas nesse vídeo aqui de comprinhas, mas ainda quero falar sobre cada uma com mais detalhes), tem também a Vogue Brasil e a Elle Brasil desse mês que tão com capas deslumbrantes e com conteúdos muito bacanas.

Na foto, além das minhas leituras de domingo, estão também um vasinho de flor e um cupcake que ganhei do Diego pra acompanharem esse momento. Achei que o pacote completo combinou bastante.

Todo um amor pelo rock nacional dos anos 80

Todo um amor pelo rock nacional dos anos 80

Apesar de ter nascido nos anos 90, desde pequena eu tenho um bocadinho de amor pelos anos 80, especialmente no que diz respeito a filmes e músicas. Isso é tão verdade que mesmo hoje escutando de tudo (as coisas aqui vão de de Beatles a Jessie J!), no que diz respeito a música nacional, não tem jeito, minha paixão maior tá mesmo no rock dos anos 80.

Plebe Rude, Cazuza, Legião Urbana, Paralamas do Sucesso, Aborto Elétrico… Tá tudo aí nesse pacote. E exatamente por isso que em abril eu fui no meu primeiro show da vida do Capital Inicial!

Apesar de não ser muito fã do trabalho atual da banda (até 2005, quando eles lançaram o CD especial Aborto Elétrico, eu ainda achava o som que eles faziam muito bom, mas de lá pra cá o rumo das músicas mudou absurdamente), eu fiquei empolgada demais com o setlist do show. Teve Veraneio Vascaína, Fátima, Geração Coca-Cola, Que País É Este, Olhos Vermelhos e muito mais. Foi muito bom escutar essas músicas que eu tanto gosto, assim, pessoalmente, e espero mesmo que o Capital volte a fazer um som mais rock (e com letras mais interessantes) e não tão “prontinho pra tocar na rádio” como tem feito atualmente. Seria muito bom ter esse tipo de música no nosso cenário atual.

Mudando um pouquinho

Mudando um pouquinho

Desde o mês passado tenho trabalhado em um horário diferente na editora e acabou que agora não tô mais tão pertinho dessa turma toda aí da foto. Mas tá tudo bem, porque a gente sempre se encontra pelos corredores e a qualquer hora dá pra marcar um café, uma pizza, um imagem e ação, um qualquer-coisa-pra-matar-a-saudade <3

Porn food

Porn food

Eu gosto de comer, simples assim. E amo experimentar pratos novos, ir em restaurantes, cafeterias, barzinhos… Posso não saber cozinhar muito bem, mas sou boa de garfo e acho mesmo prazeroso pratos que além de deliciosos são visualmente atraentes. Eu adoro um prato bem feito, caprichado (seja doce ou salgado), bastante bonito e que realmente me deixe com vontade de experimentar nem que seja uma colheradinha, sabem? O clássico porn food.

A foto daqui é de um desses dias quando depois de comer uma salada maravis de deliciosa (e também muito bonita!), eu comi de sobremesa esse crepe de chocolate, morangos e suspiro. Posso garantir que o sabor tava tão bom quanto o visual.

Muito importantes na minha infância e adolescência

Muito importantes na minha infância e adolescência

Esses dias enquanto arrumava minha estante de livros, achei essas duas lembranças tão queridas da infância e adolescência: os livros A Droga da Obediência e A Droga do Amor. Pra quem não conhece essas publicações, os dois títulos, – juntamente com Droga de Americana, Pântano de Sangue e Anjo da Morte – fazem parte de uma série chamada “Os Karas”, um sucesso nacional dos anos 90 escrito pelo Pedro Bandeira.

Antes mesmo de me apaixonar por Harry Potter, já existia essa série na minha vida. Não sei dizer ao certo se foi por causa dela que eu passei a gostar de ler (na real, eu lembro de gostar de ler desde que eu me entendo por gente), mas, com certeza, ela e a série Vaga-Lume foram as primeiras publicações que realmente me marcaram e me trasformaram nessa apaixoanada por livros que sou hoje.

E o mês de abril de vocês, como é que foi?

Bisous, bisous

Os cinco de fevereiro e março 2015

Todas as fotos desse post são do meu instagram: @paulinha_v.

Fevereiro

Revistas de moda: uma eterna crush em minha vida

Vocês sabem o quanto eu sou viciada em revistas de moda, né? O problema é que exatamente por amá-las tanto e querer sempre comprar tudo que eu vejo pela frente, rolava um acúmulo mensal de revistas aqui em casa que eu não dava conta de ler. Por isso que assim que 2015 começou eu prometi pra mim mesma que eu selecionaria melhor o que iria comprar. E, além disso, eu daria um jeito de ler toda e qualquer revista que comprasse, pra fazer bom uso do dinheiro e do espaço na estante investido.

Assim, pela primeira vez na vida tô assinando a Vogue Brasil e comprando por fora algumas revistas que têm me interessado muito, como a “nova” L’officiel (com time 2.0) e as revistas que comprei na viagem e que mostrei nesse post aqui. Tô procurando reservar um tempinho dos fins de tarde e finais de semana pra poder ler tudo isso, me inspirar e ter ideias novas. E já adianto que a coceirinha pra falar (ainda mais) sobre elas aqui no blog tá bem forte. Aguardem posts em breve 😉

Subindo mais um degrauzinho

Em fevereiro, Ariane, uma amiga mui querida, se formou na residência de Psicologia. Pra comemorar esse novo degrauzinho alcançado, rolou festinha de formatura com direito a banda, amigos, muita comida e risadas até a barriga doer. E, claro, a certeza de que agora temos uma nova e competentíssima profissional no mercado!

Sobre filmes que mexem comigo

Já faz algum tempo que eu copiei a listinha do livro “1001 filmes para ver antes de morrer” lá no meu listography e, desde então, venho riscando todos os itens que vou assistindo dela. Só que aí em fevereiro, depois de um tempão sem nem pegar esse livro nas mãos, resolvi tirá-lo da prateleira e PÁ, me deu uma vontade doida de levar mais a sério esse desafio. Na real, não é nem só dos filmes listados que eu penso isso, mas de todos os filmes mais antigos que eu morro de vontade de assistir e acabo sempre deixando de lado. Por conta disso, decidi que agora em 2015 (e aproveitando que o Oscar já passou e que os filmes restantes dessa lista eu posso ver com mais calma) vou fazer um intesivão de filminhos antigos, começando pelos do Billy Wilder, um diretor que morro de curiosidade de conhecer mais o trabalho.

Quem tiver alguma indicação pra fazer, sinta-se à vontade pra deixar nos comentários!

Trocando a folia pela piscina

Todas as últimas vezes que fui pra casa dos meus pais em Leme, me joguei sem medo na piscina. Mesmo durante o Carnaval eu preferi trocar a folia pela água e descobri assim que a piscina tem funcionado pra mim de um jeito meio terapêutico, e que a sensação boa de nadar (já até contei por aqui que eu fico nadando mesmo quando tô dentro d’água, gastando energia e me movimentando que nem uma doida) me faz bem, me enche de uma sensação de calmaria e paz. Fora a delícia que é ficar lendo na beiradinha da piscina com um vento gelado batendo no nosso rosto <3

Strike!

Strike!

Fevereiro também foi mês de sair com os amigos pra jogar boliche e fazer vários strikes (mentira essa última parte haha). Eu não sou nem de longe, mas assim, nem de longe mesmo, uma boa jogadora de boliche, mas também não tô nem aí pra isso. Como sei que sou péssima nesse jogo, abandono a Mônica de Friends que existe em mim pelo menos um pouquinho. Afinal, o importante mesmo é sair com gente que me faz bem, que me faz rir e que eu adoro muito.

Março

Espero que vocês estejam acompanhando os posts que estão subindo aqui no blog sobre a viagem, mas pra quem perdeu as fotos que eu subi no Instagram (me sigam lá!), aqui vai um top cinco das muitas coisas legais que aconteceram durante o mês de março enquanto estive em Londres e Paris.

Foram anos de espera, mas minha carta de Hogwarts finalmente chegou

Foram anos de espera, mas minha carta de Hogwarts finalmente chegou

Uma das nossas primeiras paradas em Londres foi na estação de King’s Cross, onde fica a tão incrível plataforma 9 ¾. E sério, eu não poderia ter ficado mais feliz do que fiquei por ter ido até lá! Tendo um carinho tão grande quanto eu tenho pelos livros e filmes de Harry Potter e tendo sonhado durante muito tempo com uma cartinha que me levasse direto pra Hogwarts, estar naquele lugar é quase como se eu tivesse conseguido participar um pouquinho da história também.

É mágico que ela fique de fato na estação e que de um lado a gente veja trens chegando e saindo a todo momento e, de outro, a gente veja esse pequeno carrinho na parede que significa tanto pra quem é fã de HP.

London Eye, o cartão-postal mais lindo de Londres

A vista que a gente tem de Londres quando estamos dentro da London Eye é maravilhosa, mas tão bonita quanto isso é a própria roda-gigante, uma obscenidade de linda nas margens do rio Tâmisa. Ao entardecer, quando o sol vai indo embora e o céu vai misturando o rosa e o vermelho aos seus tons de azul, as cores se refletem na água e na própria London Eye, formando uma das vistas mais lindas que já vi na minha vida <3

Melhor amigo, namorado e companheiro de viagem

Quem for até Londres, precisa conhecer a Tower Bridge, uma das pontes mais famosas da cidade (essa mesma de fundo da foto), mas também precisa, vejam bem, p-r-e-c-i-s-a conhecer a Tower of London, que fica do ladinho dessa ponte. Ela já foi a residência oficial da monarquia britânica, mas hoje se tornou uma espécie de museu da história londrina. São várias torres dentro do local e, em cada uma, uma parte da história da cidade é desvendada. As joias da coroa estão lá (sim, é possível vê-las de pertinho!), assim como a coleção de armaduras da realeza e as masmorras e máquinas de tortura que foram preservadas. Além disso, os espaços destinados aos animais do rei (desde um elefante até um tigre!) também continuam por lá, e, por falar em animais, prepare-se para ver corvos de carne e osso, enormes e a um metro de distância de você, por todo o lugar.

O dia em que eu realizei um sonho <3

O dia em que eu realizei um sonho <3

Chega a ser difícil colocar em palavras o sentimento de ver a Torre Eiffel de pertinho. É incrível como, mesmo já tendo visto tantas fotos e vídeos dela, nada tinha me preparado para a sua beleza e a emoção que ela transmite ao vivo. Saindo do metrô e caminhando em direção a ela, fiquei arrepiada da cabeça até a ponta dos pés. E mais bonito ainda foi fazer tudo isso junto com o Diego: subirmos até lá no alto e, de mãos dadas, olharmos aquela vista e termos a certeza de que estávamos realizando um sonho.

Versailles e sua imensidão

Versailles e sua imensidão

Além da Torre, o Palácio de Versailles era um o lugar que eu mais queria conhecer na França. E como valeu a pena! Para visitar o jardim todo é preciso de mais de uma hora de caminhada, mas em cada cantinho parece que há uma beleza escondida fazendo valer a pena tanta bateção de perna. Pra mim então que sou super curiosa pela história da Maria Antonieta, visitar aquele lugar me deu uma dimensão ainda maior dos motivos de revolta do povo francês com a monarquia francesa e, ao mesmo tempo, me inseriu um pouco mais no universo tão quadradinho da rainha.

Espero que vocês tenham gostado e não deixam de falar aí nos comentários se curtem esse formatinho de resumo de mês.

Bisous, bisous e até mais!

VÍDEO | Minha coleção de revistas de moda

Desde que eu gravei o meu Room Tour e a Maira pediu nos comentários aqui do blog pra que eu mostrasse melhor minhas revistas de moda, já sabia que esse seria um vídeo que eu ia amar fazer. E foi isso mesmo o que aconteceu, porque apesar do trabalho que deu, eu amo falar sobre esse assunto.

Além disso, ver esse vídeo no ar tem um gostinho ainda melhor do que o de costume: esse é o primeiro video que eu edito sozinha pro canal, uma coisa que eu prometi pra mim mesma que eu ia passar a fazer em 2015. E não pensem que foi fácil! Dentre as muitas coisas que aconteceram, eu tive um problema com o áudio que fez com que a minha fala das duas primeiras revistas ficasse bem diferente do restante, assim como eu também esqueci completamente de tirar o final do vídeo (por isso esses 40 segundos freaks de escuridão depois da gravação haha). Mas o importante é que eu consegui cumprir minha meta, gostei bastante do resultado e tô orgulhosa de mim mesma! Ou seja, 2015 começando a todo vapor!

Tomara que vocês curtam assistir esse vídeo tanto quanto eu curti fazer, e se tiverem mais sugestões de vídeos ou posts aqui para o blog, deixem nos comentários que eu vou amar!

Links citados no vídeo:
As 100 capas mais icônicas da Vogue americana | http://goo.gl/vBxpTt
Sobre a matéria de óculos e maquiagem da revista Gloss | http://goo.gl/INQ2oX
Vídeo com a história da Vogue Brasil | http://goo.gl/bBiuqp

Bisous, bisous e boa quinta-feira!