Revistas de Setembro #1 2015

Assim como fiz em outros anos, nesse mês vai rolar uma série de posts aqui no blog mostrando as capas das revistas de moda mais incríveis de setembro. E pra casar com o clima e finalmente desengavetar uns textos que eu queria escrever por aqui faz tempo, vão haver também outros posts sobre revistas, não necessariamente “de moda”, mas que têm me inspirado muito!

É só ficar de olho por aqui e acompanhar todos os próximos capítulos (:

Na sua edição de outono-inverno 2015 e que chega agora em setembro nas bancas, a Love Magazine aparece de novo com várias capas diferentes e muito belas pra gente suspirar e ficar na dúvida de qual mais gostou. Dessa vez quem estampa as sete diferentes capas da revista é o personagem C-3PO de Star Wars, a atriz Alicia Vikander, a cantora Cher, as supermodels Kate Moss e Gisele Bundchen, a maravilhosa Florence Welch e a modelo Poppy Delevigne, que pelo sobrenome famoso já entrega que é sim irmã de Cara.

Todas sob o selo de “The Talents”, as capas da revista apostam como sempre em imagens pops e conceituais, e que trazem pessoas ou personagens que estão mais do que nunca na boca do povo.

Gostei demais da capa do C-3PO, e achei a da Gisele tão diferente de tudo que sempre fazem questão de mostrar e falar sobre ela, que a capa já me ganhou só pela vontade de sair desse mais do mesmo.

Eu não sei nem muito bem por onde começar a falar dessa capa da Vanity Fair com a Taylor Swift. Na real, essa edição merecia um post só sobre ela, porque além da própria capa, as imagens do seu recheio estão espetacularmente lindas.

Fotografada pelo Mario Testino em Londres, em um lugar chamado Beaufort Bar, a capa mostra uma Taylor adulta, poderosa e sexy. Uma imagem que eu ainda tenho dificuldade de enxergar nela, pra ser bem sincera, mas que para o editorial da revista convenceu e não deixou nenhum pozinho de dúvidas pra trás. O figurino é apenas maravilhoso, e tem um bocado de pernas à mostra, bocão vermelho e poses dramáticas nas fotos.

Além de tudo isso, a minha atenção foi também para essa entrevista gigantesca que a revista fez com ela e que dá pra ler nesse link aqui. Se você assim como eu ainda tá praticando esse exercício de tentar entender a cantora, acho que vale muito a pena dar uma olhadinha em tudo que ela falou.

Além de gostar de toda a beleza envolvida por trás de uma capa de revista, eu sou uma pessoa extremamente influenciável pela pessoa que tá ali estampadinha nela. Isso quer dizer que se eu gosto da pessoa, já é meio caminho andado pra eu gostar pelo menos um pouco da capa em que ela aparece, mas, se em contrapartida eu não gosto da tal pessoa, aí, bem, aí as coisas ficam de fato complicadas.

Isso tudo quer dizer que se a capa da Elle UK me conquistou é porque pra mim ela realmente tá destruidora, já que Kristen Stewart definitivamente tá na lista de pessoas que eu não vou muito com a cara. As cores dessa edição tão vibrantes de um jeito bom, de um jeito que dá poder para a capa, que faz com que ela fique magnética. Aliás, a escolha de cores pro look da Kristen, nesse color block maravilhoso, foi certeira.

As fotos foram feitas em Los Angeles e nesse vídeo aqui dá pra ver o behind the scenes do ensaio.

Em breve posto mais imagens que eu amei, mas já queria saber de vocês: que capa de revista de setembro fez vocês pirarem?

Bisous, bisous e um bom começo de mês pra todos nós.

The Movie Issue

Ontem a W revelou as sete capas que vão estampar sua edição de fevereiro e já podemos dizer que sim, 2015 começou bem para as revistas de moda.

Além dessa edição ser dedicada ao cinema e as personalidades que brilharam nas telonas em 2014, as fotos de capa são maravilhosas… Melhor dizendo, MARAVILHOSAS, em letras garrafais mesmo, porque elas merecem.

Emma Stone, minha capa preferida de todas, foi escolhida pela sua atuação em Birdman (com estreia prevista para 29 de janeiro aqui no Brasil). O filme teve sete indicações (número cabalístico, hein?) ao Globo de Ouro de 2015 e as críticas ao filme e principalmente a Emma têm sido tão maravilhosas, que minha vontade de assistir ao longa só cresce. Principalmente depois de ter visto essa cena aqui.

Benedict Cumberbatch e Keira Knightley estão no elenco de The Imitation Game, ainda sem previsão de estreia aqui no Brasil. O que muita gente já dá como certo é a indicação de Benedict para o Oscar de melhor ator, principalmente depois do sucesso que ele e o longa alcançaram no Festival de Toronto.

Eu confesso que não tinha me interessado muito pelo filme até assistir o trailer e ir procurar mais sobre a vida de Alan Turing, o matemático a quem Benedict dá vida no filme. Ele contribuiu tanto para a ciência da computação, teve um papel tão importante nos rumos que a Segunda Guerra Mundial tomou e foi tão duramente massacrado pela opinião pública por simplesmente ser quem ele era, que eu já criei uma puta admiração e respeito pelo cara.

Eu devo ser provavelmente a única garota que ainda não assistiu A Culpa é Das Estrelas, filme que fez Shailene estampar uma das sete capas da W [aqui o trailer]. Eu arriscaria dizer que ele foi um dos filmes mais vistos – se não dos mais vistos, mas com certeza dos mais comentados – do ano passado. O que não foi muita surpresa já que ele vinha sendo aguardado muito ansiosamente por meio mundo, desde que a notícia de que o livro viraria filme pipocou na imprensa.

Um dos motivos pra eu não ter visto o filme ainda é que eu fiquei com birra da Shailene desde aquele comentário infeliz que ela fez sobre feminismo. Tô, no entanto, tentando botar em prática o que aprendi com o Think Olga sobre sororidade e pensar que ela, assim como tantas outras meninas por aí, só propaga um discurso que foi mostrado pra ela desde sempre. Com a repercussão ruim que a declaração teve, me dá um pouco de esperança de que ela e quem mais diz isso tenha entendido que esse conceito de feminismo tá definitivamente errado.

A capa que traz Amy Adams (e que tá muito incrível) tem tudo a ver com o filme que a colocou aí: Big Eyes, o novo longa-metragem de Tim Burton, que chega aqui no Brasil dia 29 de janeiro.

Desde que eu vi o trailer do filme, fiquei numa ansiedade level hard, afinal Tim Burton é um dos meus diretores preferidos e eu tô bastante curiosa pra ver os toques tão característicos dele em um filme que não é nem de terror e nem de fantasia.  Acho que essa é a chance de Tim voltar a fazer trabalhos tão incríveis quanto os seus mais antigos.

Wild, que vem dia 15 de janeiro para o Brasil e é estrelado por Reese Witherspoon, é mais um filme que promete aparecer na lista do Oscar [aqui o trailer]. Inspirado no livro que conta a história real de Cheryl Strayed, uma mulher que se aventura sozinha e em busca de si mesma na selva, ele parece ter mesmo virado queridinho da crítica.

Um detalhe de behind the scenes do filme que me chamou a atenção é que como Reese precisava viver essa mulher tão intensa, que tava em um lugar tão isolado e passando por um momento de raiva tremenda, o diretor pediu pra que todos os espelhos do trailer-camarim dela fossem tampados. Ela não podia ver sua aparência, porque esse tipo de preocupação e de vaidade não podiam ter espaço naquele papel.

Essas curiosidades sobre construção de personagem sempre me chamam a atenção. Eu fico pensando quão louco e maravilhoso é, por um tempo, você praticamente viver uma outra vida, completamente diferente da sua e mergulhar naquilo de cabeça. É muito incrível quando a gente para pra pensar no papel da atuação sobre esse aspecto.

Filme novo de Clint Eastwood merece atenção! E é graças a ele, chamado American Sniper, que Bradley Cooper entrou na lista das sete capas de fevereiro da W. Parece que o filme chega por aqui só dia 19 de fevereiro, mas pelo trailer já dá pra ter uma ideia do que vem por aí. E se eu fiquei tensa só com isso, não quero nem pensar na hora que ele chegar nos cinemas daqui…

Teremos Julianne Moore como melhor atriz desse ano no Oscar? Muita gente tá fazendo apostas de que sim, mas eu sempre deixo pra formar minha opinião só depois de ver todos os filmes (esse ano vai ter #aquecimentoOscar de novo aqui no blog, aguardem!). Se isso realmente acontecer, vai ser a primeira vez que a atriz vai ganhar a estatueta. E isso aos 54 anos de idade, gente, o que pra mim torna tudo ainda mais especial.

Still Alice, o longa responsável por todo esse burburinho, conta a história de uma renomada professora que é diagnosticada com Alzheimer e passa a sofrer os terrores da doença em todos os aspectos da sua vida. Ele chega dia 26 de fevereiro no Brasil, mas tem o trailer aqui pra quem quiser assistir. Vale notar que esse é mais um filme que veio adaptado de um livro. Coisa que sempre aconteceu no cinema, mas que eu tenho a impressão que nos últimos anos cresceu de uma forma gigantesca e tem sido responsável por inúmeros filmes com sucesso de crítica e público.

Enfim, listadinhos aqui todos os filmes que mereceram a atenção da W, já pode começar a contagem regressiva pra estreia deles no Brasil, pro Oscar e pra comprar a revista (eu quero MUITO essa edição). E se isso não te convenceu ainda, vai aí o plus de que apesar de sete estrelas terem sido escolhidas pra capa, o miolo conta com a participação de 39 atrizes e atores que arrasaram em 2014. Todos em fotos fodas clicadas por Tim Walker.

Tudo tão bonito quanto uma sessão de cinema em um fim de tarde.

Bisous, bisous

Links para toda hora #3

Nas poucas vezes em que foi atualizada, essa categoria aqui se chamava “links do fim de semana”. Só que aí hoje eu percebi que tinha uma série de indicações e links legais acumulados que queria trazer para o blog e cadê paciência pra esperar a sexta-feira chegar? Então pra resolver o problema, dei um truque, mudei o nome da categoria e pronto haha.

Ah, gente, inspiração não precisa de dia certo não!  E, cá entre nós, mesmo que no final de semana a gente tenha mais tempo pra ler e ver essas coisas, nas pausas do dia-a-dia a gente pode escutar uma música ou ler um texto e voltar renovados pra rotina. Por sinal, acho isso uma ótima forma de recarregar as energias.

Então, espero que vocês curtam os “Links para toda hora”. E quem aí tiver coisas legais pra compartilhar também, por favor, a caixa de comentários é toda sua!

Mudando de assunto...

A Capitolina (intimamente eu a chamo de Capitolinda) é uma revista online independente para garotas adolescentes. E ela tem um grande diferencial: é feita por gente que segue o ditado “se você quer bem feito, faça você mesmo”. Ou seja, meninas que ao sentirem falta de um espaço na mídia onde fossem verdadeiramente representadas, tendo seus gostos, suas dúvidas e suas vontades mostradas, resolveram que elas mesma resolveriam o problema. Foi desse desejo que nasceu essa revista aqui, que fala de moda, beleza, games, escola, culinária, música e todo um universo que nós meninas, jovens ou mulheres, nos interessamos. E do jeito mais feminista possível, “sem restrições de classe social, raça, orientação sexual, aparência física ou interesses”, como elas mesmo dizem.

Vale MUITO a pena a leitura!

Dá uma olhadinha então na Edição nº 01 da revista (que a cada dia tem um novo texto) e no facebook das meninas.

Não sei se já contei sobre isso em algum momento aqui do blog, mas The Voice é meu guilty pleasure preferido. E não que o programa seja ruim, tá longe disso, mas é que toda vez que uma nova edição começa, eu fico querendo contar sobre tudo que rola no programa pra todo mundo. (Desculpa viu, Diego?)

Nessa sexta temporada, tem Blake e Adam, o bromance mais incrível da TV americana, e Shakira e Usher (como eu adoro esses dois!) no papel dos mentores. E do outro lado, no palco, tem muita gente talentosa querendo ganhar o programa. Tanto que nessa edição teve uma das batalhas mais épicas – e lindas, fofas, emocionantes e insira aqui seu adjetivo do bem preferido.

Jake Worthington, um dos responsáveis por essa apresentação, já tinha tentado uma vaga no programa na temporada passada, mas não conseguiu ser selecionado nas blind auditions. Corta pra 2014 e temos três cadeiras virando para sua apresentação às cegas desse ano. Quando chegou na segunda fase de batalhes, ele, do alto dos seus 17 anos (!), enfrentou Tess Boyer, que agora é também uma das minhas preferidas do programa. E olha, não sei nem dizer quantas vezes eu já vi esse vídeo dos dois cantando “Have a little faith in me”. É emocionante!

Vejam com seus próprios olhos e venham se juntar a mim no coro de “ai, como essa versão é maravilhosa!”

 

Vocês já sabem da minha história com maquiagem e das dificuldades que sempre encontrei pra cair de cabeça nesse mundo. Só que aos pouquinhos eu tô invertendo esse jogo e um dos responsáveis por isso com certeza é o The Beauty Department. Esse blog é uma mão na roda pra qualquer um que se interesse minimamente pelo mundo da beleza, e ele tem me ajudado tanto, que olha, vocês não fazem nem ideia! Ele traz dicas, tutoriais, guias, informações sobre produtos, DIY e muito mais. E tudo isso sempre vem acompanhado de imagens com passo a passo ou vídeos muito bem explicadinhos do assunto. Eu amo o cuidado que eles têm ao fazer cada texto e ao mostrar cada sequência de fotos. É tudo muito bem feito pra gente realmente pegar o que eles tão ensinando e sair por aí botando em prática.

Amo/sou The Beauty Department.

A Pixel TV acabou de sair do forno e tá com a edição zero aí online pra quem quiser ver. Eu tenho que dizer que tô muito orgulhosa de fazer parte desse projeto, e confesso que ainda tô enfofada das meninas terem pensado em mim e me chamado logo que surgiu a ideia da coluna Ponto a Ponto.  Nessa edição, além de assinar esse texto, que fala sobre o The Rory Gilmore Reading Challenge (pag. 24), assino também uma matéria sobre serviços de streaming brasileiros (pag. 48). E lá no blog da Pixel, um pouquinho antes dessa primeira edição ir ao ar, contei da onde surgiu a inspiração para a minha coluna. Pra ler, é só clicar aqui.

Mais indicação de revista digital porque pra mim revista nunca é demais. Nunquinha mesmo. Poder ser virtual ou de papel, manda pra cá que eu vou amar ler.

Essa daqui eu descobri por causa da Melina do A Series of a Serendipity que falou sobre ela lá no blog. A Stylist Magazine é uma revista distribuída semanalmente no metrô de Londres e que há algumas semanas ganhou uma versão digital (eee) e gratuita (eee²). Eu não conhecia a revista, mas corri baixar e pronto, agora que a bateria do meu celular não dura mais pra nada mesmo. Virou vício. Fora que as capas são muito lindas – tem uma de “100 inspiring quotes for life” toda coloridinha que é amor eterno, amor verdadeiro.

Se alguém aí baixar e ler, conta aqui depois o que achou :)

Bisous, bisous e boa quinta-feira o/

Os cinco de agosto

Já faz um tempo que eu quero compartilhar um pouco mais da minha vida pessoal aqui no blog. Uma ou outra vez eu até falo um pouco mais de mim por aqui, mas eu pensei que seria legal fazer no começo de todo mês dois tipos de posts mais rapidinhos, mas que também mostrem um pouco de quem eu sou pra vocês. Porque né, conhecer as pessoas, sua vida, vontades e desejos pode ser um ótimo exercício também pra entender como a moda se encaixa ali, como tá presente no dia-a-dia dela.

Então é isso! A partir de hoje o blog ganha dois posts fixos todo mês na categoria Minha Vida. O primeiro é esse daqui, “Os 5 de (insira aqui o mês que acabou de terminar)”, onde eu conto, e mostro em fotos do meu instagram (aka @paulinhav), cinco coisas legais que aconteceram no meu último mês. O segundo é “Wishlist de (insira aqui o mês que estamos)”, com todos os meus desejos de consumo, não só de roupas e sapatos, claro, do mês que tá começando.

E é isso hehe. Espero mesmo que vocês curtam e também deem seus pitacos nos comentários!

Elle Brasil de agosto e "Dormindo com o Inimigo - A Guerra Secreta de Coco Chanel"

Elle Brasil de agosto e “Dormindo com o Inimigo – A Guerra Secreta de Coco Chanel”

No comecinho de agosto eu fui passar uns dias com os meus pais e minha irmã lá na minha cidade natal, Leme, interior de São Paulo. O bom de ir pra lá é que quase sempre eu acabo tendo dias muito quietinhos, dedicados a rever amigos queridos em programas caseiros ou programas tipo ir tomar café e pegar um cineminha, e a me entregar de corpo e alma pras minhas revistas e livros. E eu não to exagerando nessa parte não haha. Sempre que vou pra Leme levo quase que metade da mala com roupas, acessórios e o que mais eu for precisar pra aquelas dias, e a outra metade vai toda abarrotada de revistas e livros :p Juro que já tentei ser mais contida, mas não adianta, sempre acho melhor me precaver e levar milhões de livros e revistas porque “vai que eu acabo tudo e não tenho mais nada pra ler?” haha.

A foto aqui foi em um momento onde eu dividia minha leitura com a Elle Brasil de agosto (essa é a capa pra assinante, mas a capa que tava nas bancas era tão linda quanto) e o livro “Dormindo com o Inimigo – A Guerra Secreta de Coco Chanel”, que já teve até resenha aqui no blog.

Cabelo novo, vida nova!

Cabelo novo, vida nova!

Agosto também foi mês de cortar o cabelo e fazer uma grande mudança no visual!
Mas antes de explicar essa minha mudança, vamos voltar um pouco no tempo lá em 2006/2007. Na época eu tinha 16, 17 anos e sofria com um sério problema capilar. Foi uma época em que eu passei por vários problemas pessoais e acabou que quem sofreu com todo esse stress foram meus cabelos. A queda dos fios era tão intensa, mas tão intensa que eu passei vários anos da minha vida entrando e saindo de tratamentos, testando produtos, fazendo tudo que era possível e imaginável pra poder mantê-los bem. Ou seja, nessa época o que eu mais sonhava era poder mantê-los compridos e saudáveis, uma coisa meio impossível pra quem via seu cabelo caindo aos montes todo dia.

Em 2009 eu vim então pra Bauru e as coisas começaram a mudar. Foi uma grande transformação na minha vida e acho que a felicidade de dentro começou a se refletir também por fora. Meus cabelos ganharam vida, os tratamentos pararam e eu finalmente pude aproveitar minhas longas madeixas, só que como eu já tinha sofrido tanto antes pra poder mantê-lo assim, acabei mantendo o mesmo comprimento durante anos, só cortando as pontinhas pra dar força, sabem?

Bom, tava na hora de mudar então né haha? Ganhei uma leve franja e cortei o cabelo numa altura média!

No início eu até estranhei, mas agora to tirando de letra deixá-lo assim!

Jantar a luz de velas no dia 17

Jantar a luz de velas no dia 17

Eu e Diego começamos a namorar no dia 17 de maio de 2009, e além dos aniversários que comemoramos todo ano quando essa data se repete, a gente mantém o dia 17 de todo mês como um dia especial. Às vezes a gente só faz uma comida mais caprichada aqui no apartamento ou faz um programa não comum na nossa rotina, porque depende do quanto aquele dia tá sendo agitado ou não, mas dessa vez conseguimos ir em um jantar bem romântico. Decidimos então jantar em um restaurante de comida asiática chamado Bangkok, que além de ter uma decoração deslumbrante, um clima super intimista e uma comida deliciosa, fica todo ao ar livre, em um jardim lindo e com uma iluminação feita toda a luz de velas. Lindo, lindo!

O melhor quiche da história dos quiches

O melhor quiche da história dos quiches

Não sei se eu já contei isso aqui no blog, mas eu sou fã número um de cafeterias. Tenho até uma listinha no listography com as cafeterias que já fui e qual foi a minha impressão sobre elas a respeito da comida, atendimento e decoração.

O Lokma Café é um bistrô e cafeteria aqui de Bauru que eu já tinha ido antes, mas que na época não tinha experimentado o quiche mediterrâneo deles. Só que agora eu to trabalhando perto de lá (aliás, em breve vou falar aqui no blog sobre o meu trabalho novo hihi) e depois que experimentei essa delícia, não quero saber de mais nada. É divino e super levinho. E pela foto já dá pra vocês verem o quanto é graciosa a decoração que eles fazem também no prato, né? Comida bonita e gostosa = puro amor.

Palestra de beleza no Top Chic 2013

Palestra de beleza no Top Chic 2013

E pra fechar agosto com chave de ouro, participei de um evento chamado Top Chic que já tá na sua quarta edição e serve como um painel de tendências pra próxima estação. Esse evento sempre foca em três áreas que mudam de ano pra ano e dessa vez as contempladas foram a moda, a beleza e o visual merchandising.

A palestra de beleza foi legal à beça! Quem ministrou foi a maquiadora Cinthia Sganzella e o hairstylist Edu Oliveira, e além de trazerem tendências de cortes e cores de cabelo tanto pro público feminino quanto pro público masculino, eles ainda falaram sobre as academias internacionais de beleza e o Edu compartilhou as suas preferidas com a gente (:

E fim. O post não ficou nem parecido com o “rapidinho” que eu havia planejado, mas tudo bem hehe.

Bisous, bisous.

Revistas de Setembro #1 2013

Setembro chegou e junto com ele aquela vontade louca de comprar todas as revistas de moda desse mês na banca. Isso porque setembro é o mês considerado mais importante pras revistas do gênero, já que é aí que a gente tem “reveladas” as tendências da próxima estação, é em setembro que as publicações vem gigas (ano passado a Vogue US teve 658 páginas!) e também aí que a gente tem as capas mais incríveis do ano!

Eu cheguei até a falar sobre isso lá no página do blog e tinha adiantado que ia fazer um post com as capas que mais arrasaram e fizeram meu coração pular de entusiasmo nesse mês. Só que eram muitas, haha, então decidi fazer uma série de posts. Assim, ao longo de todo o mês de setembro vai rolar por aqui as “September Issues” divididas em partes, o que nada mais é do que uma tentativa desesperada de achar espaço pra falar de todas as capas que me inspiraram (o que eu acho difícil de conseguir, mas né, tamo aí pra tentar haha.)

Interview

É claro que eu tinha que começar esse post falando da Interview, que não se contentou apenas em trazer uma capa maravilhosa e cismou logo em trazer sete capas babados de uma vez só, tombando geral!
Essa edição da Interview ganhou até um nome especial, que é “The Model Issue”, ou seja, um edição todinha em homenagem a elas, as modelos que deixam esse mundo da moda muito mais incrível. O recheio da revista tem editoriais com mais de 70 modelos (!) e as capas vieram estreladas individualmente por Linda Evangelista, Naomi Campbell, Amber Valletta, Daria Werbowy, Kate Moss, Christy Turlington e Stephanie Seymour, com fotos tiradas pela dupla Mert Alas e Marcus Piggott.
E olha, eu adorei essa escolha de capas apenas em p&B e acho que todas elas são lindas, com “poses muito de modelo mesmo”, cumprindo essa ideia de fazer uma homenagem a profissão. E é legal que cada uma das capas pega algum estereótipo de foto de revista e trabalha em cima dele, ou seja, a gente tem desde a gata sensual e molhada, até a mulher tomboy com uma linguagem corporal de outro planeta e a modelo que traz toda a força para o olhar, hipnotizando o leitor.

Miss Vogue Australia

Vale falar de revista estreante também?
Se no caso a revista estrear com uma capa fofa, mas fofa, mas fooofa mesmo, então vale haha. E esse é o caso da Miss Vogue Australia, a “Teen Vogue” que acabou de chegar em solo australiano.
Aproveitando pra falar um pouco da revista: ela segue o mesmo estilo da sua versão americana, ou seja, uma revista com assuntos, fotos e inspirações voltados principalmente para o público jovem, e que tem como editora-chefe Alice Cavanagh e editora de moda Christine Centenera.
A capa de estreia tem Elle Fanning (puro amor) sendo o que ela é: jovem, fresh, divertida e extremamente bela de se fotografar. A make tá levinha e amei que o cabelo tá com mais volume e movimento, saindo daquela versão chapada que algumas vezes infelizmente o cabelo dela ganha. E que atire a primeira pedra quem não se apaixonou por esse moletom com estampa de Bambi da Givenchy <3

Ah, eles lançaram um videozinho de ‘behind-the-scenes’ de estreia da revista bem legal também, vale clicar.

Harper's Bazaar US

A versão de assinante da Harper’s Bazaar US tá deslumbrante. Não que a versão que tá indo pras bancas seja ruim, mas essa daqui é uma capa memorável.

Bom, eu já contei aqui no blog uma vez que eu tive um caso de ódio por muito tempo com Sex and The City, e que ele só foi aplacado quando eu finalmente perdi meu pré-conceito e fui assistir a série. Ainda tem muita coisa que eu não gosto por lá, mas pra compensar tem outras milhares que eu amo, e uma dessas coisas com certeza é o fato de SATC ter Sarah Jessica Parker como musa-mor. Eu gosto muito dela, muito mesmo, e acho que essa extravagância toda que havia na Carrie é uma coisa que vem muito da vida dela também, sabe? Ou seja, pra mim essa capa é Sarah Jessica Parker em mais um de seus momentos Sarah Jessica Parker haha. O exagero, no acessório e na risada, essa exuberância, esse viço, ai, podia ficar aqui rasgando seda, mas nem preciso porque essa foto fala por si só, né?

Por hoje é só, mas logo logo já tem post novo com mais September Issues por aqui.

Bisous, bisous