O que eu quero pra 2016

Se existia uma certeza nesse blog era a de que todo final de ano eu faria um post por aqui listando as minhas metas dos próximos 365 dias. E quando eu faço essas metas, eu listo de tudo, de coisas pessoais a profissionais, de coisas muito grandes a coisas muito pequeninas, de coisas muito difíceis até outras que eu sei que é só eu me esforçar um pouquinho pra que tudo dê certo. E são metas que eu sempre encaro de unhas e dentes e faço questão de olhar no final do ano pra ver o que deu certo ou não, pra ver onde errei e onde acertei. Até porque o intuito é esse, né? Aprender todo um ano um pouco mais, com as coisas ruins e com as coisas boas.

Só que nesse ano, se vocês acompanharam todos os posts que rolaram em dezembro por aqui, devem ter notado que não postei minha lista. E a verdade é que isso não aconteceu porque eu não a escrevi. Até porque eu sou assim, uma garota que gosta de listar coisas, que gosta de se organizar, que gosta de ter metas e objetivos. Eu sonho alto, tão alto que eu tenho até medo da altura dos meus sonhos. E acho que são exatamente essas vontades – que quando colocadas numa lista assim, parecem me incentivar ainda mais – que me fazem chegar lá.

Mas como eu ia dizendo, eu não postei minha lista de resoluções esse ano aqui. E o motivo é que o que eu desejava de verdade pra 2016, e que foi o que eu coloquei no papel, eram coisas muito mais abstratas do que nos outros anos. As tais das coisas pequenininhas que eu falei ali em cima, mas que no final fazem uma diferença enorme na nossa vida. Coisas que são difíceis de explicar, porque pra mim mesmo ainda estão tomando forma.

E na hora de falar sobre essa lista aqui, percebi que fazia muito mais sentido eu falar sobre a única coisa que unia todos os itens que nela apareciam. A coisa que fez eu perceber o que eu queria – e quero – de verdade pra 2016.

Eu preciso de um eixo esse ano. Eu preciso conseguir me desligar das coisas que só me atrapalham. Eu preciso aprender a começar e terminar essa coisa que eu comecei. Eu preciso aprender a não me auto sabotar com horários, prazos e metas malucas. Eu preciso aprender a mirar em algo e trabalhar pra que aquilo dê certo, sem deixar que coisas que não deveriam se infiltrar no meio desses planos, se infiltrem. Eu preciso saber das minhas limitações. Eu preciso entender que eu devo levar certas coisas mais a sério. E preciso entender também que tem outras tantas coisas que eu não devo dar a mínima.

Eu preciso de foco esse ano. Assim, em letras garrafais.

E eu acho que 2016 tem tudo pra ser esse ano (até porque ele já começou de forma maravilhosa, e muito em breve eu vou contar aqui o porquê). O ano pra eu me tornar essa pessoa que consegue se desvencilhar do que não é legal – pelo menos não naquele momento – e mirar no que importa.

E eu acho que agora vai. Fé e foco que vai dar certo.

Bisosu, bisous

Que tudo se realize no ano que vai nascer

Uma das minhas maiores tradições de final de ano é fazer listas de resoluções para os novos 365 dias que se anunciam, e nesse ano, claro, não foi diferente. Quer dizer, até foi, porque diferente do que aconteceu nas últimas vezes, tem uma meta em especial que tá ocupando o topo dessa lista. E eu vou falar já já dela, mas, antes disso, decidi que no post de hoje, além de falar dos meus desejos de 2014 eu também farei uma listinha-resumo de tudo que rolou (de incrível) em 2013. E, né, claro que também tiveram momentos ruins, até porque esse ano foi de muita indecisão pra mim (dei adeus ao estágio, embarquei na vida de quase-adulta pós-faculdade, sofri uma crise de parar e repensar o que tava fazendo da minha vida e por aí vai), mas 2013, com certeza foi um ano marco nos meus 23 anos de vida.

E isso porque…

  • Parece clichê, mas re-aprendi que amigos mesmo são poucos, porém incríveis. Tive a chance de passar mais tempo com eles e chorar ou comemorar abraçados – ou fazer os dois juntos quando a amiga que fazia faculdade pelo Prouni ganhou o prêmio de melhor aluna do curso. E tive a chance de perceber que pra amizade que é amizade mesmo, nem a distância geográfica ou essa vida de quase-adulto que nem sempre permite que a gente se veja com tanta freqüência, importa.
  • Em 2013 eu conheci gente incrível à beça na internet. E digo e repito que uma das melhores coisas que essa modernidade toda me proporcionou foi a de conhecer gente do outro lado do país com quem eu tenho afinidades, com quem eu posso morrer de rir, com quem eu posso passar a madrugada trocando ideias. Tive o prazer de conhecer a queridona da Marina Espindola do Costanza Who (pessoalmente na festinha da Honey Pie), o Diego Minone do Acho Fashion (láá nos primeiros dias de 2013), o João Magagnin do Come on John e a Camila-fofa do Não me Mande Flores. E também descobri na dona Isabelly Lima do Refletindo Moda, com quem eu já trocava algumas idéias desde 2010, uma das melhores amigas e pessoas para se passar uma madrugada toda fofocando.
  • Ganhei um novo apartamento, investi em decoração de uma maneira que nunca antes havia sonhado e aprendi a beleza de ter um lugar pra chamar de casa. Aprendi a dividir as coisas e descobri que quando a gente tem um canto realmente nosso, ele é sempre o melhor lugar para se estar depois de um dia ruim.
  • Descobri novas paixões como: patinação no gelo, comida mexicana, Jessie J, livros Ya e vlogs literários.
  • Entreguei um TCC do qual eu me orgulho e me senti recompensada com o que escutei da banca na minha apresentação.
  • Me formei em Jornalismo pela UNESP e realizei um sonho que tinha desde criança.
  • Li muitos livros e assisti muitos filmes. Não tantos quanto eu gostaria, mas foi um bom número no total. E ah, continuei a assistir MUITAS séries e dei chance para novas também.
  • Criei o blog e me dediquei a ele como jamais havia me dedicado a qualquer outro que fiz.
  • Me apaixonei mesmo, de todo coração, cada dia mais pelo Diego. Ele não é apenas meu namorado, mas meu melhor amigo e alguém que me escuta, me entende, me apoia e abre meus olhos quando eu tô fazendo coisa errada. Porque amor não é só passar a mão na cabeça, amor é ser verdadeiro sempre.
  • Comi muito. Ri muito. Chorei um pouco.
  • Dei tchau para um estágio e para o À Moda da Casa, continuei a me inspirar com A Lagarta, descobri um universo chamado social media e assumi a editoria de moda – e um tiquinho de beleza – no Dicas de Mulher.
  • Aprendi e aprendi e aprendi. Todos os dias, com as mais diversas pessoas, nas mais diversas ocasiões e sobre os mais diversos assuntos.

  • A despeito de tudo que quero e vou fazer nesse ano, minha meta número um é “não deixar para depois, o que eu posso fazer hoje”. Faz um tempo que eu tenho planos na minha vida que venho adiando ora por motivo de tempo, ora por motivo de dinheiro, ora por ambos, ora por outros inúmeros fatores. E eu sinto como se estivesse enganando a mim mesma e dando desculpas, sabe? Em 2014 quero então colocar (e acho que nunca estive tão decidida na minha vida de algo) de fato em prática coisas que há tempos quero fazer. Aos poucos, nessa parte mais pessoal do blog, vou contando as novidades por aqui 😉
  • Vou trabalhar com uma das coisas que mais amo na vida.
  • Não vou estabelecer números exatos de quantos livros ou quantos filmes quero ler/ver, porque já vi que isso é algo muito relativo. No entanto, como quero manter o ritmo de leitura e cinema de 2013, quero que minha lista de final de ano seja igual ou maior do que foi a desse.
  • Me dedicar ainda mais ao blog. Postar com mais frequência e continuar a aprender com todos os comentários.
  • Zerar mais jogos no steam.
  • Continuar a investir em decoração e arriscar mais em DIY.
  • Conhecer pessoalmente amigos da internet.
  • Ir mais a São Paulo.
  • Continuar a visitar cafeterias e conhecer restaurantes novos.
  • Começar alguma atividade física. Encontrar algo que de fato tenha a ver comigo e que não me desanime no segundo mês. E, claro, continuar com as caminhadas diárias.
  • Manter a agenda e realmente usá-la como merecido: anotar tudo que precisa ser feito, usar os post its, riscar o que foi cumprido e etc.
  • Estudar moda ainda com mais afinco e me matricular no curso da Unika se abrirem inscrições para o primeiro semestre do ano.
  • Fazer uma grande viagem.
  • Cuidar do meu rosto. Investir em produtos que controlem a oleosidade, beber mais água, limpar o rosto sempre antes de dormir e não deixar de usar protetor solar, faça chuva ou faça sol.
  • E por fim, mas nem de longe menos importante, não me sentir culpada por dormir um tempo justo de horas. Preciso colocar na minha cabeça que dormir bem melhora muito a qualidade e produtividade do meu dia.

Gostaram? Tem algo parecido com o balanço/resoluções de vocês? Contem nos comentários!

E, antes que eu me esqueça, Feliz Ano Novo e um 2014 MARAVILHOSO pra nós <3

Bisous, bisous