365 Days of Drag

Vocês estão acompanhando a oitava temporada de RuPaul’s Drag Race? Essa temporada tá apenas espetacular e eu tô verdadeiramente impressionada em como a produção e Mama Ru conseguiram chegar a uma equipe final tão sólida e diferente. Acho que é superimportante, especialmente em um reality show como esse, que se abra espaço para mostrar diferentes tipos de trabalhos e personas.

Jaremi Carey é o homem por trás da drag queen Phi Phi O’Hara

Mas drags incríveis e muito talentosas não são exclusividade da oitava temporada, a gente sabe. Tanto é que Phi Phi O’Hara, uma das participantes mais controversas e polêmicas da quarta season, sempre teve um trabalho muito incrível dentro e fora do programa.

Independente de uma torcida favorável ou não a ela durante o reallity, – até porque todo mundo sabe que assim como em qualquer outro programa de televisão, tudo ali dentro é editado e contado como uma historinha para o público, criando “personagens” pra cada competidor – não tem como negar que Phi Phi é um arraso. Como ótima maquiadora e artista drag que é, ela consegue transformar seu visual em tudo que desejar. E eu juro que não tô exagerando.

A prova disso é o seu mais novo projeto, o 365 days of drag, onde Phi Phi lança mão de muita maquiagem e figurinos deslumbrantes pra se transformar em um personagem diferente a cada dia,  durante 365 dias corridos.

Pela sua conta no instagram (@phiphiohara) a gente vai acompanhando todas essas transformações, e se encantando e se chocando ao mesmo tempo com cada uma das figuras que ela cria. Fica nítido como há muito trabalho, muito tempo gasto, muitas dedicação e muito amor pela arte drag envolvidos. Além disso, há uma variedade enorme de materiais usados, tanto na maquiagem quanto nas roupas, e tem uma atenção tão grande depositada nos detalhes que dá pra ver que todas as produções foram feitas com muito profissionalismo e perfeccionismo.

Algumas imagens são criações da cabeça da Phi Phi, mas outras são interpretações de personagens de desenhos super queridos. Já teve, por exemplo, uma série só com as personagens de My Little Pony (já contei que acho Twilight Sparkle uma graça?) e uma com personagens de desenhos animados dos anos 90 como Lil DeVille e Didi Pickles dos Rugrats, Jubille dos X-Men e Dot do Animaniacs.

Hoje, 1º de abril, o projeto já tá na sua 90ª transformação, mas tendo em vista que serão 365 dias, dá pra esperar portanto ainda muitas e muitas criações. E aaah, Phi Phi já declarou que vai rolar uma semana especial só com as evoluções do Eevee do Pokémon! Eu não consigo nem imaginar quão incrível vai ser isso!

Pra quem quiser saber mais do trabalho da Phi Phi e acompanhar seu projeto, tem aqui o instagram, facebook e twitter dela. O trabalho tá bárbaro, vale mesmo a pena prestigiar.

Bisous, bisous e até amanhã!

Apresentando: 1001 filmes para ver antes de morrer

Foi em 2011 que ganhei do Di a edição atualizada do “1001 filmes para ver antes de morrer”, esse edição linda com o Heath Ledger de Coringa na capa. A partir daí, sempre que sobrava um tempinho, eu assistia algum dos filmes do livro e, aos pouquinhos, percebi que eu tava fazendo disso uma espécie de projeto (meio desmotivado e “do meu jeito”, mas um projeto haha).

Foi só nos últimos tempos que me deu vontade de levar isso mais a sério e resolvi arrumar a minha lista do listography sobre o assunto (a lista que eu tinha lá eu havia pegado da internet e tava na versão anterior, com filmes até 2007) e aproveitar o embalo pra gravar vídeos sobre esse projeto pro canal!

E voilà, foi isso que aconteceu.

No vídeo daqui de cima eu conto como isso vai funcionar, e pra quem também tem interesse de ver os filmes, aqui tem o link da minha lista agora atualizada até 2009 (que é a compilação da minha edição) com o nome de todos os longas, além de seu respectivo diretor e ano.

Espero que vocês gostem do projeto e se animem também a participar. O cinema é muito mais do que 1001 filmes, é claro, mas acho esse um guia muito legal e interessante pra se conhecer mais sobre o assunto e também conhecer um monte de obra fodas que marcaram gerações.

Bisous, bisous