A vida de Alice e a vida de Mariana

No último dia 17 o blog foi convidado para o lançamento do livro “A Vida de Alice”, da escritora Mariana Akemi Yamaguti. O evento aconteceu no Bauru Shopping, e reuniu muita gente interessada em conhecer e prestigiar o trabalho da Mariana, que é bauruense da gema e está lançando o seu primeiro livro.

Antes de tudo isso acontecer, no entanto, acho legal contar que quando recebi o convite do evento, duas coisas me deixaram muito feliz: a primeira foi estar sendo chamada para o lançamento de um livro, coisa que quem acompanha os posts aqui do blog ou me segue nas redes sociais, sabe que tem tudo a ver com meu universo. E a segunda foi que a Mariana, autora do livro, é uma garota de apenas 13 anos de idade e mesmo tão novinha não só conseguiu escrever como ainda publicar a sua história!

"A Vida de Alice" e a vida de uma jovem escritora

Eu e a Mariana no dia do lançamento do livro, em foto do Social Bauru

Acho que quem, assim como eu, também tem uma relação de amor com o mercado editorial, deve entender essa felicidade. Saber que existem pessoas como a Mariana só faz a gente ter ainda mais certeza de que não, a internet não matou os livros, e que essa nova geração tem interesse sim por esse universo. Tanto que houveram vários livros YA de sucesso nos últimos anos, um considerável crescimento de canais literários do YouTube dedicados a um público mais jovem, e um boom em eventos literários já clássicos, como a Bienal do Livro de São Paulo, e o surgimento de novos, como a Flipop. Ou seja, a galera mais nova lê, sim. E, por sinal, lê bastante.

No caso da Mariana, além de ler (aqui embaixo tem uma listinha com os autores preferidos dela!), dá pra ver que também tem gente produzindo coisas muito legais, e foi exatamente sobre o processo de escrita de “A Vida de Alice” e a publicação do livro que a gente conversou.

A Vida de Alice e a vida de Mariana

A Vida de Alice e a vida de Mariana

A Mari contou que tudo começou quando os amigos de escola desafiaram ela a escrever uma história. Na época com 11 anos, a garota deu início então a narrativa que hoje é seu primeiro livro, mas que para chegar até aqui, percorreu um caminho bastante longo. Tudo que ia sendo escrito era levado para sua professora de português, que junto da garota, ia vendo o que precisava melhorar, o que podia ser mantido e assim por diante. Foram cerca de nove meses nessa troca de figurinhas até o livro final ganhar vida e, depois, mais um ano e três meses em busca de uma editora que publicasse a história.

“Eu, na minha cabecinha infantil e alienada do assunto, imaginava que bastava escrever um livro, levar para uma editora que ela publicaria com extrema facilidade; porém não foi bem isso que aconteceu, eu dei de cara com uma barreira imensa que quase cobriu o meu sonho. Fui em diversas editoras e recebi “não” de todas elas, o que foi bem frustrante, mas necessário para eu encontrar as pessoas certas.”, conta.

Foi aí que entrou em cena então a própria escola da Mariana, que com a ajuda de muita gente envolvida, conseguiu tornar esse sonho realidade. O livro foi publicado pela Canal 6 Livraria e “A Vida de Alice” ganhou vida.

"A Vida de Alice" e a vida de uma jovem escritora

Quando questionada sobre as inspirações que ajudaram ela a desenvolver essa história mesmo tão novinha, Mariana aponta duas coisas que tiveram muita influência nesse processo. “Acredito que hajam dois tipos de inspiração, algo mais “físico” relacionado a convivência e influência de determinadas pessoas e experiências; e algo mais interior, uma sensação, um sentimento… não sei descrever ao certo, um choque de adrenalina e criatividade que te impulsionam a passar para o papel, o que está no mais profundo do seu ser.”

E, quando o assunto é sobre os próximos passos da carreira e se ela pretende publicar mais livros, Mariana é enfática. “Não imagino mais a minha vida sem escrever, é algo que já é parte de mim e extremamente vital no meu dia a dia. Pretendo sim escrever mais livros, acho que ainda tenho muito para falar, mas para projetos futuros… No momento ainda estou sentindo e curtindo “A Vida de Alice”.”

A Vida de Alice e a vida de Mariana

“A vida de Alice” conta a história de uma menina que, ajudada pela melhor amiga, está tentando encontrar seu lugar no mundo depois de perder a mãe de uma forma bastante misteriosa. Para quem ficou interessado na sinopse e quer prestigiar o trabalho da Mariana, é possível comprar seu exemplar pelo próprio site da editora ou ainda no site da Amazon.

Me contem depois nos comentários o que vocês acharam. Quero muito saber.

Beijos e até a próxima!

Um punhado de opiniões sobre a coleção do Alexandre Herchcovitch para a C&A

Hoje, depois de uma manhã corrida de trabalho na redação, saí da editora e fui para o Bauru Shopping conferir a nova parceria desenvolvida entre o estilista Alexandre Herchcovitch e a C&A. Com uma ansiedade que fazia muito tempo que eu não sentia quando o assunto era parceria de grandes estilistas com redes de fast-fashion, fui ver de perto as peças que já haviam sido divulgadas ontem no site da loja, mas que só chegaram hoje às unidades da rede.

O desfile de lançamento da coleção foi ontem, na Praça das Artes em São Paulo, e dá pra ser visto completinho no vídeo aqui de baixo. Nele a gente nota um casting super diversificado de idades, tipos físicos, estilos… Uma heterogeneidade que faz bastante juz a uma coleção que perpassa um monte de fases diferentes da carreira do estilista. O foco, é claro, são suas raízes, mas pra quem admira o trabalho de Herchcovitch (oi!) e conhece um pouquinho da sua história, a ideia da coleção ganha um sentido ainda mais especial.

Eu amei ver, por exemplo, como eles trouxeram diversos tipos de elementos-chave da carreira do Alexandre, – como as caveiras, o xadrez, a alfaiataria, a risca de giz – de um jeito super, super, super usável. É roupa que você coloca pra trabalhar, roupa que você coloca pra ir no barzinho, roupa que você coloca pra ver o namorado. Roupa que você usa. Mesmo. E ainda que eu ame coleções conceituais, acho que é importantíssimo que as redes de fast-fashion cumpram esse compromisso  de moda comercial com o consumidor.

Dá pra ver e comprar no site da C&A todas as peças da coleção, que chegam quase a 200 itens (!) entre roupas femininas, masculinas e acessórios. Além disso, dá pra ver por lá também um dos itens da parceria que mais causou frisson: o vestido de noiva, que eu achei uma sacada super inteligente e que, quem sabe, pode virar um novo filão a ser explorado nessas parcerias.

Mas vamos ao que interessa: a qualidade, corte e acabamento das peças.

Depois de ver todos os itens no site e ver ao vivo, tive algumas surpresas muito boas e umas pequenas estranhezas também. As blusas de crepe com efeito acetinado, por exemplo, que não tinham chamado minha atenção antes, ganharam meu coração. A amarela é linda e vai ficar especialmente mais chique em quem tem cabelo ou pele morena. Os vestidos florais são mil vezes mais lindos pessoalmente e acho que o maior trunfo da coleção é que os cortes das peças são bons. As calças e shorts são bem alinhados e o casaco vermelho, que eu não resisti e comprei, fica com uma silhueta linda no corpo!

Por outro lado, os vestidos de paetês são meio esquisitos e as camisetas de caveira, uma das peças que eu mais queria comprar, me deixaram um pouco na dúvida. Ainda que vestissem bem, fiquei com medo do tecido e botei na balança se valia a pena os R$89,99 que eles estavam cobrando.

Em geral eu gostei muito da coleção. Ela tá redondinha, bem-feita, muito bem pensada e visando diversos tipos de público. No tempo que fiquei na loja, vi muita gente entrando na C&A só pra provar as peças da coleção e era legal ver a heterogeneidade do pessoal.

Vale a pena dar uma olhadinha pessoalmente se tiver uma unidade com a coleção aí perto da sua casa.

Bisous, bisous e até amanhã!

Sobre vestidos que fazem sonhar

Ontem o blog foi convidado a ir até a loja Noivas Ideias daqui de Bauru para o coquetel de lançamento da sua mais nova coleção de vestidos de noiva, a Poéme, da marca Nova Noivas. E eu fui muito curiosa para o evento, porque ainda que esse seja um tema do qual eu não costumo falar muito por aqui, eu tenho uma admiração bastante grande por vestidos de noiva.

Não é segredo para ninguém que eu não penso em ter um casamento de véu e grinalda, com festão, igreja e tudo mais. Eu já comentei isso algumas vezes aqui no blog e talvez um dia escreva um texto explicando um pouco melhor o que eu penso sobre o assunto. Mas acontece que ao longo desses meus 26 anos de vida, muitas mulheres cruzaram o meu caminho, e eu ficava intrigada como muitas delas tinham uma relação de amor tão grande com esse vestido.

Para elas, aquilo era muito mais do que uma roupa. Era parte de um sonho gigantesco, de um desejo maior, e tinha um significado muito especial na vida de cada uma. E quando a gente percebe esse tipo de coisa e vê esse tipo de amor repetidas vezes, não tem como não parar pra pensar no assunto.

E foi só quando eu fiz isso e parei pra olhar e refletir, que eu descobri que ainda que vestidos de noiva não fizessem parte do meu sonho, eu os admirava imensamente por fazerem parte do sonho de tantas outras mulheres.

No lançamento que pude conferir ontem, essa admiração não ficou para trás. Primeiro porque a coleção é deslumbrante, toda inspirada na poesia e faz jus há uma marca especializada no segmento, que tem 30 anos de estrada e um cuidado muito grande na confecção de cada peça. Além das coleções de pret-à-porter, eles possuem também modelos exclusivos de vestidos e vários tipos de acessórios para noivas.

Outra coisa legal da noite de ontem foi que enquanto o evento rolava no piso térreo da Noivas Ideias, eu tive a oportunidade de conhecer a parte de cima da loja, onde ficam todos os vestidos do seu acervo – e que tem uma pequena parte mostrada aqui, na foto que abre esse post.

É difícil explicar racionalmente isso, mas essas salas parecem ter vida própria. Tanto na área voltada para o público masculino, que tem casacos, fraques e ternos, quanto na feminina, que tem vestidos e acessórios paras noivas. Tem algo a mais ali, que eu não sei bem dizer o que é (talvez a boa energia e felicidade de todo mundo que passa por lá?), mas que deixa uma sensação boa e que te inspira quando você põe os pés no lugar.

Para quem quiser ver em detalhes os vestidos da coleção Poème, é só clicar aqui para conferir todo o catálogo da coleção.

E queria aproveitar pra deixar um parabéns pra loja Noivas Ideias, que há mais de 20 anos no mercado vem mostrando um trabalho super sério e de respeito ao universo dos vestidos de noiva, e um agradecimento especial a Lu Oliveira da Lettera Comunicação pelo convite do evento.

Bisous, bisous e bom final de semana pra todo mundo (amanhã eu volto!)