Poderosa como uma super-heroína

Eu sei que falar de capas com um calor de 40º escaldante lá fora é quase uma ofensa, mas entendam que eu tô com tanta saudade de dias mais friorentos que fico vendo um monte de fotos inspiradoras nesse estilo no pinterest, já pensando no que vou usar quando a próxima brisa bater por aqui.

E nesse apanhado de imagens lindas o que mais tem me chamado a atenção são mesmo as tais capas, que eu concordo que podem causar um pouquinho de estranheza no começo, mas que com tanta beleza logo nos conquistam (assim, muito rápido mesmo) e nos deixam com vontade de sair passeando com uma delas por aí.

Gigi maravilhosa Hadid

Eu acho o máximo como essas capas (as do super-heróis também, mas no caso aqui estamos falando mesmo sobre as de streetstyle) são praticamente um look completo de tão imponentes e poderosas que ficam. Desde as menorzinhas (essas acima do quadril, as capelets) até as enormes, que funcionam quase como um sobretudo.

Eu não tenho nenhuma ainda no armário, mas quero comprar um modelo antes de junho, pra poder usar na minha viagem de férias. Tenho tanta dúvida de qual modelo investir (e também em qual lugar comprar) que prefiro antes montar minha pastinha de referência – e que no caso, acabou virando esse post aqui haha – antes de decidir.

Valentino Pre-Fall 2015

Valentino Pre-Fall 2015

A la anos 60

Blair Eadie do Atlantic Pacific

Blair Eadie do Atlantic Pacific

Valentino Pre-Fall 2015

Blair Waldorf

Blair Waldorf

Betty do Le Blog de Betty

Betty do Le Blog de Betty

Pierre Cardin

Pierre Cardin

Tadashi Shoji's Fall 2014

Tadashi Shoji’s Fall 2014

E vocês, alguém aí tem alguma? Têm vontade de usar? Contem aqui nos comentários!

Bisous, bisous e até amanhã!

Revistas de setembro #3 2015

Outubro já tá quase dando às caras, mas ainda dá tempo de fazer um último post com três capas de revistas que arrasaram em setembro – e que eu não podia deixar de fora daqui do blog!
E pra quem perdeu o primeiro e o segundo post dessa micro série, é só clicar nos respectivos links.

Nesse mês a Harper’s Bazaar arrasou em dose dupla, já que tanto na sua capa que foi para as bancas quanto na sua capa de assinante, ela trouxe duas imagens super lindas, divertidas e originais. Em ambas, a cover girl da edição é a Katy Perry, – que inclusive acabou de fazer um showzaço aqui no Rock in Rio – e eu fiquei completamente dividida entre as duas, sem saber por qual fiquei mais apaixonada.

Enquanto na edição que foi para as bancas a Katy tá bem drama queen, na de assinante ela aparece em cores vibrantes e numa brincadeira de colagem, encarnando ninguém menos do que a lendária Elizabeth Taylor.

A foto faz parte de um dos editoriais que recheiam a revista, onde diversas celebridades como Willow Smith (de Kali), Mariah Carey (de Maria Antonieta) e Oprah Winfrey (de Glinda de O Mágico de Oz) dão vida a grandes ícones, sob o comando de Carine Roitfeld e Jean-Paul Goude.

Capa que foi para as bancas

Capa que foi para as bancas

 

Capa para assinantes

Capa para assinantes

Gente, eu amei as cores da capa da Seventeen desse mês!

Apesar da pegada da revista ser quase sempre a mesma, dessa vez achei que tanto a escolha das cores quanto o próprio look usado pela Iggy tão mais doces, menos posudos e não forçando tanto uma imagem de garota-perfeição, sabem?

Achei legal também que no miolo a revista trata bastante da cirurgia plástica no nariz que a Iggy Azalea fez, mas, ao invés de trazer isso como uma espécie de “fofoca”, ela fala sobre questões como aceitação do nosso corpo, imperfeições (que todo mundo tem) e sobre como é importante levar esse procedimento cirúrgico a sério, sem, no entanto, entendê-lo como uma uma falha ou uma vergonha.

“Plastic surgery is an emotional journey (…) It’s no easy feat to live with your flaws and accept yourself—and it’s no easy feat to change yourself. Either way you look at it, it’s a tough journey. There are things that I didn’t like about myself that I changed through surgery. There are other things I dislike but I’ve learned to accept” diz Igyy no miolo da revista.

Pode querer pra ontem esse cabelo da Rosie?

Sério, fiquei meio embasbacada por ele e por esse vestido maravilhoso que ela tá usando na capa da Harper’s Bazaar UK. O modelito é Prada, e o editorial estrelado por ela no miolo da edição foi fotografado por Alexi Lubormirski e teve styling de Miranda Almond.

Eu amo a mistura que a revista fez de rosa e azul bebê na capa, e apesar dela não ser “muito trabalhada” ou de não trazer nada muito extraordinário, acho que aqui o simples conseguiu me cativar. É uma imagem fresh, gostosa de ver, descomplicada e sofisticada ao mesmo tempo. Eu gosto disso e gosto desse tantinho de pele a mostra que deixa a capa ainda mãos jovem e leve.

E me contem agora vocês. Quais as capas das revistas de moda desse mês que você mais amaram?

Bisous, bisous

The Movie Issue

Ontem a W revelou as sete capas que vão estampar sua edição de fevereiro e já podemos dizer que sim, 2015 começou bem para as revistas de moda.

Além dessa edição ser dedicada ao cinema e as personalidades que brilharam nas telonas em 2014, as fotos de capa são maravilhosas… Melhor dizendo, MARAVILHOSAS, em letras garrafais mesmo, porque elas merecem.

Emma Stone, minha capa preferida de todas, foi escolhida pela sua atuação em Birdman (com estreia prevista para 29 de janeiro aqui no Brasil). O filme teve sete indicações (número cabalístico, hein?) ao Globo de Ouro de 2015 e as críticas ao filme e principalmente a Emma têm sido tão maravilhosas, que minha vontade de assistir ao longa só cresce. Principalmente depois de ter visto essa cena aqui.

Benedict Cumberbatch e Keira Knightley estão no elenco de The Imitation Game, ainda sem previsão de estreia aqui no Brasil. O que muita gente já dá como certo é a indicação de Benedict para o Oscar de melhor ator, principalmente depois do sucesso que ele e o longa alcançaram no Festival de Toronto.

Eu confesso que não tinha me interessado muito pelo filme até assistir o trailer e ir procurar mais sobre a vida de Alan Turing, o matemático a quem Benedict dá vida no filme. Ele contribuiu tanto para a ciência da computação, teve um papel tão importante nos rumos que a Segunda Guerra Mundial tomou e foi tão duramente massacrado pela opinião pública por simplesmente ser quem ele era, que eu já criei uma puta admiração e respeito pelo cara.

Eu devo ser provavelmente a única garota que ainda não assistiu A Culpa é Das Estrelas, filme que fez Shailene estampar uma das sete capas da W [aqui o trailer]. Eu arriscaria dizer que ele foi um dos filmes mais vistos – se não dos mais vistos, mas com certeza dos mais comentados – do ano passado. O que não foi muita surpresa já que ele vinha sendo aguardado muito ansiosamente por meio mundo, desde que a notícia de que o livro viraria filme pipocou na imprensa.

Um dos motivos pra eu não ter visto o filme ainda é que eu fiquei com birra da Shailene desde aquele comentário infeliz que ela fez sobre feminismo. Tô, no entanto, tentando botar em prática o que aprendi com o Think Olga sobre sororidade e pensar que ela, assim como tantas outras meninas por aí, só propaga um discurso que foi mostrado pra ela desde sempre. Com a repercussão ruim que a declaração teve, me dá um pouco de esperança de que ela e quem mais diz isso tenha entendido que esse conceito de feminismo tá definitivamente errado.

A capa que traz Amy Adams (e que tá muito incrível) tem tudo a ver com o filme que a colocou aí: Big Eyes, o novo longa-metragem de Tim Burton, que chega aqui no Brasil dia 29 de janeiro.

Desde que eu vi o trailer do filme, fiquei numa ansiedade level hard, afinal Tim Burton é um dos meus diretores preferidos e eu tô bastante curiosa pra ver os toques tão característicos dele em um filme que não é nem de terror e nem de fantasia.  Acho que essa é a chance de Tim voltar a fazer trabalhos tão incríveis quanto os seus mais antigos.

Wild, que vem dia 15 de janeiro para o Brasil e é estrelado por Reese Witherspoon, é mais um filme que promete aparecer na lista do Oscar [aqui o trailer]. Inspirado no livro que conta a história real de Cheryl Strayed, uma mulher que se aventura sozinha e em busca de si mesma na selva, ele parece ter mesmo virado queridinho da crítica.

Um detalhe de behind the scenes do filme que me chamou a atenção é que como Reese precisava viver essa mulher tão intensa, que tava em um lugar tão isolado e passando por um momento de raiva tremenda, o diretor pediu pra que todos os espelhos do trailer-camarim dela fossem tampados. Ela não podia ver sua aparência, porque esse tipo de preocupação e de vaidade não podiam ter espaço naquele papel.

Essas curiosidades sobre construção de personagem sempre me chamam a atenção. Eu fico pensando quão louco e maravilhoso é, por um tempo, você praticamente viver uma outra vida, completamente diferente da sua e mergulhar naquilo de cabeça. É muito incrível quando a gente para pra pensar no papel da atuação sobre esse aspecto.

Filme novo de Clint Eastwood merece atenção! E é graças a ele, chamado American Sniper, que Bradley Cooper entrou na lista das sete capas de fevereiro da W. Parece que o filme chega por aqui só dia 19 de fevereiro, mas pelo trailer já dá pra ter uma ideia do que vem por aí. E se eu fiquei tensa só com isso, não quero nem pensar na hora que ele chegar nos cinemas daqui…

Teremos Julianne Moore como melhor atriz desse ano no Oscar? Muita gente tá fazendo apostas de que sim, mas eu sempre deixo pra formar minha opinião só depois de ver todos os filmes (esse ano vai ter #aquecimentoOscar de novo aqui no blog, aguardem!). Se isso realmente acontecer, vai ser a primeira vez que a atriz vai ganhar a estatueta. E isso aos 54 anos de idade, gente, o que pra mim torna tudo ainda mais especial.

Still Alice, o longa responsável por todo esse burburinho, conta a história de uma renomada professora que é diagnosticada com Alzheimer e passa a sofrer os terrores da doença em todos os aspectos da sua vida. Ele chega dia 26 de fevereiro no Brasil, mas tem o trailer aqui pra quem quiser assistir. Vale notar que esse é mais um filme que veio adaptado de um livro. Coisa que sempre aconteceu no cinema, mas que eu tenho a impressão que nos últimos anos cresceu de uma forma gigantesca e tem sido responsável por inúmeros filmes com sucesso de crítica e público.

Enfim, listadinhos aqui todos os filmes que mereceram a atenção da W, já pode começar a contagem regressiva pra estreia deles no Brasil, pro Oscar e pra comprar a revista (eu quero MUITO essa edição). E se isso não te convenceu ainda, vai aí o plus de que apesar de sete estrelas terem sido escolhidas pra capa, o miolo conta com a participação de 39 atrizes e atores que arrasaram em 2014. Todos em fotos fodas clicadas por Tim Walker.

Tudo tão bonito quanto uma sessão de cinema em um fim de tarde.

Bisous, bisous

As 100 capas mais icônicas da Vogue US

Eu já contei por aqui que tenho uma caixinha de cartões postais da Penguin com as fotos das 100 capas mais icônicas da Vogue; um presente lindo da minha irmã, que eu guardo com o maior carinho. Só que foi só mesmo quando gravei o room tour do canal que eu percebi que nunca tinha mostrado pra vocês quais são essas cem capas e o que elas afinal têm de tão especial. E né, tava mais do que na hora de fazer isso, já que afora o fato delas serem maravilhosas, elas contam um pouco da história da Vogue US (que tem uma influência importantíssima na indústria fashion) e da própria história da moda ao longo das décadas.

Por isso, apresento pra vocês as capas mais incríveis da história da Vogue americana, desde 1892 quando a revista foi lançada, (a que abre esta galeria é mesmo a sua primeira capa) até 2011 quando essa caixinha foi feita. As imagens estão todas na ordem em que foram publicadas, e é só clicar em cima da que você quiser que ela abre numa janelinha que dá pra expandir ainda mais depois.

Tomara que vocês se inspirem, suspirem e pirem por cada uma delas tanto quanto eu.

Bisous, bisous

Revistas de Setembro 2014 #1

Tchan tchan tchan tchan… Está no ar mais uma edição da September Issues!

Ano passado eu já havia feito uma série de posts do gênero pra mostrar e falar sobre as capas das revistas de moda que mais amei em setembro de 2013 e, passado agora um ano (!), com setembro de 2014 já quase um terço transcorrido, tá na hora de fazer mais uma edição dessa série. Por isso, preparem seus corações (e bolsos, pra quem quiser adquirir essas magazines) e venham conferir a primeira parte do que as revistas de moda nacionais e gringas reservaram pra edição mais aguardada do ano.

A Vogue Itália preparou um presentaço pra gente e aproveitou o aniversário de 50 anos da publicação pra fazer uma capa maravilhosa com cinquenta (isso mesmo, cinquenta!) modelos que marcaram a história da moda desde os anos 90. Preparados? Tem Naomi Campbell, Carolyn Murphy, Amber Valletta, Linda Evangelista, Karen Elson, Christy Turlington, Edie Campbell, Stella Tennant, Natalia Vodianova, Jamie Bochert, Vanessa Moody, Mariacarla Boscono, Daria Strokous, Issa Lish, Iselin Steiro, Liya Kebede, Julia Nobis, Meghan Collison, Lexi Boling, Anais Mali, Jessica Stam, Coco Rocha, Sasha Pivovarova, Saskia de Brauw, Fei Fei Sun, Vanessa Axente, Rianne van Rompaey, Natasha Poly, Aymeline Valade, Elise Crombez, Julia Stegner, Ophelie Guillermand, Hilary Rhoda, Miranda Kerr, Cindy Bruna, Guinevere van Seenus, Jourdan Dunn, Liu Wen, Karlie Kloss, Amanda Murphy, Cameron Russell, Joan Smalls, Candice Huffine, Anna Ewers, Sasha Luss e Candice Swanepoel, além das brasileiríssimas Isabeli Fontana, Raquel Zimmermann, Adriana Lima e Caroline Trentini.

Todas essas modelos foram (e ainda são) grandes estrelas da moda mundial e cada uma delas, através da sua trajetória, dos desfiles que participou, dos editoriais que estrelou e das campanhas em que apareceu, conta um pedaço dessa história. Portanto, juntar todas elas em uma mesma fotografia, que, detalhe, foi batida pelo mestre Steven Meisel, é dar um presente para todos os amantes da moda.

Além disso, achei maravilhoso o efeito final, quando vemos a foto toda inteira, e o fato de terem preferido tirar as cores da imagem, deixando a foto transitar entre o sépia e o preto e branco. Dessa forma, nenhuma das modelos salta aos olhos em um primeiro momento, fazendo com que a gente visualize o quadro completo. É como se a foto mostrasse que, ainda que elas sejam incríveis  individualmente, o que elas representam juntas pra moda é ainda mais importante, ainda mais forte. <3

A Interview veio com seis capas diferentes pra esse mês e com uma edição intitulada “The Photographers’ Issue”. A ideia foi dar voz a seis grandes fotógrafos de moda, pedindo que eles escolhessem e fotografassem uma mulher que, pra eles, representasse a beleza. Apesar da difícil tarefa, cada musa inspiradora virou uma das capas da publicação e as fotos ficaram apenas sensacionais.

Patrick Demarchelier escolheu Keira Knightley, Steven Klein ficou com Nicole Kidman, Mert Alas e Marcus Piggott foram de Naomi Campbell, Craig McDean fotografou Amber Valleta, Mikael Jansson chamou Daria Werbowy e, por fim, mas não menos importante, Peter Lindbergh arrasou com Léa Seydoux.

Acho difícil escolher uma preferidas das seis, mas tô apaixonada pela capa que trouxe a Nicole Kidman by Steven Klein, já que foge completamente do senso comum e aposta em cores escuras, carregadas, em um clima bem pesado. A capa da Amber Valleta by Craig McDean também acertou em cheio, ainda mais por deixar a imagem com efeito de ilustração. O sombreado ficou lindo e deixou a foto extremamente imponente, vocês não acham?

Pra fechar esse primeiro post, então, uma capa mais levinha e fofa, estrelada por Chloe Moretz – que tá cada dia mais linda!

A Allure, que é uma revista de beleza, traz uma foto da Chloe com um batom todo poderoso e um cabelo cheio de ondas que eu queria pra mim. Tá uma capa bem levinha, com cores suaves dando destaque para o nome da publicação e com uma “foto padrão”, mas que aqui funciona bem. Acho que guardadas as devidas proporções de público e estilo de cada revista, a Allure fez uma capa bem bonita, que combina com a mensagem que eles querem passar.

E vocês, já têm suas capas preferidas do mês? Contem aqui nos comentários!

Bisous, bisous

Continua…