Um punhado de opiniões sobre a coleção do Alexandre Herchcovitch para a C&A

Hoje, depois de uma manhã corrida de trabalho na redação, saí da editora e fui para o Bauru Shopping conferir a nova parceria desenvolvida entre o estilista Alexandre Herchcovitch e a C&A. Com uma ansiedade que fazia muito tempo que eu não sentia quando o assunto era parceria de grandes estilistas com redes de fast-fashion, fui ver de perto as peças que já haviam sido divulgadas ontem no site da loja, mas que só chegaram hoje às unidades da rede.

O desfile de lançamento da coleção foi ontem, na Praça das Artes em São Paulo, e dá pra ser visto completinho no vídeo aqui de baixo. Nele a gente nota um casting super diversificado de idades, tipos físicos, estilos… Uma heterogeneidade que faz bastante juz a uma coleção que perpassa um monte de fases diferentes da carreira do estilista. O foco, é claro, são suas raízes, mas pra quem admira o trabalho de Herchcovitch (oi!) e conhece um pouquinho da sua história, a ideia da coleção ganha um sentido ainda mais especial.

Eu amei ver, por exemplo, como eles trouxeram diversos tipos de elementos-chave da carreira do Alexandre, – como as caveiras, o xadrez, a alfaiataria, a risca de giz – de um jeito super, super, super usável. É roupa que você coloca pra trabalhar, roupa que você coloca pra ir no barzinho, roupa que você coloca pra ver o namorado. Roupa que você usa. Mesmo. E ainda que eu ame coleções conceituais, acho que é importantíssimo que as redes de fast-fashion cumpram esse compromisso  de moda comercial com o consumidor.

Dá pra ver e comprar no site da C&A todas as peças da coleção, que chegam quase a 200 itens (!) entre roupas femininas, masculinas e acessórios. Além disso, dá pra ver por lá também um dos itens da parceria que mais causou frisson: o vestido de noiva, que eu achei uma sacada super inteligente e que, quem sabe, pode virar um novo filão a ser explorado nessas parcerias.

Mas vamos ao que interessa: a qualidade, corte e acabamento das peças.

Depois de ver todos os itens no site e ver ao vivo, tive algumas surpresas muito boas e umas pequenas estranhezas também. As blusas de crepe com efeito acetinado, por exemplo, que não tinham chamado minha atenção antes, ganharam meu coração. A amarela é linda e vai ficar especialmente mais chique em quem tem cabelo ou pele morena. Os vestidos florais são mil vezes mais lindos pessoalmente e acho que o maior trunfo da coleção é que os cortes das peças são bons. As calças e shorts são bem alinhados e o casaco vermelho, que eu não resisti e comprei, fica com uma silhueta linda no corpo!

Por outro lado, os vestidos de paetês são meio esquisitos e as camisetas de caveira, uma das peças que eu mais queria comprar, me deixaram um pouco na dúvida. Ainda que vestissem bem, fiquei com medo do tecido e botei na balança se valia a pena os R$89,99 que eles estavam cobrando.

Em geral eu gostei muito da coleção. Ela tá redondinha, bem-feita, muito bem pensada e visando diversos tipos de público. No tempo que fiquei na loja, vi muita gente entrando na C&A só pra provar as peças da coleção e era legal ver a heterogeneidade do pessoal.

Vale a pena dar uma olhadinha pessoalmente se tiver uma unidade com a coleção aí perto da sua casa.

Bisous, bisous e até amanhã!

Campanhas criativas – Parte 1

Eu adoro campanhas de moda e beleza, assim muito mesmo. No little stuffs aqui do blog tem até uma categoria de vídeos inspiradores – que sempre dão uma carinha mais gostosa para o meu dia – com muitas dessas campanhas. Mas aí, há alguns dias, conversando com uma amiga sobre isso, comecei a perceber que não conhecia tantas campanhas assim que saíssem da fórmula pronta de ‘essas são as roupas da nossa nova coleção’, ‘essas são nossas maquiagens/produtos e eles resultam nessa make ou nesse cabelo’. É claro que tem um milhão de campanhas das quais sou fã, seja pela estética, seja pela gostosura de assistir o vídeo, seja pelas modelos/diretores/marcas envolvidos, mas campanhas criativas que façam algo totalmente novo nem são tantas assim, ou pelo menos não tantas que me viessem instantaneamente à cabeça.

Daí que curiosa que sou fui atrás de campanhas brasileiras (as internacionais serão do próximo post!) que saíssem dessa fórmula básica e trouxessem algo novo para o vídeo. Às vezes o produto ficava até em segundo plano, mas a ideia por trás do vídeo, seu viral ou simplesmente essa sacada de fazer algo diferente já mudava tudo.

Além de algumas campanhas que eu lembrava fui pesquisar outras através da Meio & Mensagem, e a seleção final é essa aí – e ela ficaria superfeliz se recebesse mais links nos comentários haha.

 

As nacionais

A gente vai fazer compras sozinha e falta algo muito importante: a opinião de alguém que nos ajude a escolher a roupa ideal ou apenas dê um toque se aquela peça tá valendo o investimento. A famosa mão amiga da segunda opinião, sabem? Mas aí a C&A resolveu esse problema. Dez peças da coleção do dia das mães foram escolhidas pra ficarem nas araras da loja no shopping Iguatemi e também terem suas imagens veiculadas no facebook da marca. Assim que a pessoa desse um like em alguma das imagens, um aparelhinho instalado na roupa da loja mostrava o quanto aquela roupa já havia sido curtida, assim como uma segunda opinião do quanto ela era querida.

A campanha foi feita por uma agência brasileira chamada DM9DDB, ganhou ouro na premiação Worl Retail Awards pela categoria de “Innovation Concept” e prata, pela categoria “Outdoor”, e bronze, por “Media e “Direct”, no Festival Cannes Lions.

“Se nós podemos ver a beleza nos outros, por que não vê-la em nós mesmas?”

A campanha “Dove pela real beleza” tem uma série de vídeos que fazem a gente repensar mesmo como a gente enxerga a beleza em nós mesmas e nos outros. A maioria desses vídeos são da Dove estadunidense e ganharam uma versão brasileira traduzida, mas até onde pesquisei – gente, se estiver falando besteira, please, alguém me avisa nos comentários – esse aqui é totalmente made in Brasil.

Vou confessar que não conheço nada dessa marca, a Niely, mas achei a campanha super diferente. É engraçadinha essa ideia de “se a gente pode alisar o calçadão de Copacabana, imagina então o que não podemos fazer pelos seus cabelos?” O vídeo é da agência Artplan e, assim como dá pra ver aqui em cima, ganhou uma baita repercussão na mídia nacional. E né, afora o fato de que essa trilha sonora e estilo carioca deixa a campanha ainda mais bonita de se ver!

“Quem disse que maquiagem tem que ter regra?”

Eu simplesmente amo a proposta da “Quem disse, Berenice?” O vídeo da campanha podia ser apenas mais um como qualquer outro mostrando todos os produtos que a marca têm – apenas algo em torno de 500 itens – mas não. O slogan usado dentro e fora do vídeo é sempre o mesmo: não existe certo nem errado nesse mundo da maquiagem. E a campanha traduz isso muito bem.

Além de ter ter esse começo ‘desmitificando regras’, o vídeo tem como trilha sonora “Dancin Days’ das Frenéticas e vai mostrando meninas se divertindo e experimentando tudo aquilo que elas querem de make para se sentirem ainda mais bonitas. Dá vontade de ir lá e se juntar a elas.

E a minha preferida de todas: a campanha da Natura Plant. Juro que quando o vídeo terminou eu tava bem emocionadinha e fiz questão de mostrar pro namorado e pras amigas. Sinal de que se era pra campanha chamar a atenção, eles realmente conseguiram, né? E não é só isso, lá no Meio & Mensagem, na votação de final de ano em que os leitores decidem qual a melhor campanha do ano, advinha quem ganhou em 2011? Exatamente! A melhor campanha brasileira de 2011 foi da Natura – criada pela agência DVTBWA – que tem essa proposta tão bonita de fazer uma surpresa para as mulheres falando porquê o cabelo delas ser tão lindo. Assim, num lugar e momento tão inesperados e vindo de pessoas que elas tanto amam.

Vocês conhecem mais campanhas criativas de moda e beleza? Compartilhem nos comentários! 😉

Update: Gente, to descobrindo tantas campanhas nacionais criativas que fiquei até triste de ter feito esse post só com cinco. Mas, antes tarde do que nunca, certo? Então aí vão duas campanhas que achei que seria um erro deixar de fora daqui. A primeira é bem recente e é da Reserva, que teve a brilhante iniciativa de ver que até as coisas mais ruins podem reverter em algo bom, ou como eles mesmo dizem: se a vida te der limões, porquê não fazer uma limonada?

A marca aproveitou as gravações do assalto ocorrido em sua loja nos Jardins (algo em torno de 40 mil reais em mercadorias foram levados) e fez sua nova campanha que tem como slogan “Não precisa quebrar a vitrine. É só entrar.”

A campanha de dia das mães da Renner (aliás gente, como tem campanha de dia das mães inteligentes! Dá pra ficar umas boas horas assistindo tudo no youtube hahaha) é de uma beleza ímpar. A ideia de todo a campanha – tem que assistir até o final mesmo pra entender – é linda e vai sendo colocada no vídeo de uma maneira tão, mas tão bonita. Não só visualmente falando, mas nessa beleza da passagem do tempo e da relação da mãe com o filho. Lindo, lindo!