Os cinco de junho 2014

Todas as fotos desse post são do meu instagram @paulinhav

Blazer vintage

Blazer vintage

Descobri um universo chamado brechós e só posso dizer que tô maravilhada!

Eu sempre curti o conceito que existe por trás desses lugares, mas de uns tempos pra cá descobri que existem por aí mais brechós bons e incríveis do que eu supunha. Se a gente procurar bem, dá sim pra encontrar brechós que realmente fazem um trabalho bacana de higienização das peças, além de tratarem cada artigo de um jeito único, reformando e/ou customizando esses itens. Pra quem curte peças vintage então, tá aí um prato cheia de inspirações! Dá pra garimpar roupas que seriam improváveis de encontrar em uma loja perto e/ou por um preço acessível.

Essa foto aqui de cima é de um blazer que comprei em um brechó assim, bom, bonito e barato haha e que além de estar num estado de conservação de dar inveja, era bem do jeitinho que eu queria. Foi amor à primeira vista. E já adianto que além dele, achei um vestido, tipo O vestido, nesse mesmo brechó. Tava tão decidida que trouxe ele pra casa mesmo ele tendo ficado enorme em mim. Não faz mal, porque eu já tenho em mente todas as partes que vou mandar tirar/reformar pra deixar ele do jeito que eu quero. Assim que o costureiro terminar, mostro ele aqui pra vocês verem como ficou :)

Brunch time!

Brunch time!

Já contei aqui que amo brunchs (na real eu amo comidas gordas haha) e esse que tem no Alameda, uma espécie de galeria daqui de Bauru, é de pirar de maravilhoso! O único problema que encontro quando vou nesses lugares é que sempre sofro porque quero comer tudo haha. Sou meio sem limites quando o assunto é comida :/

Dia de jogo do Brasil é assim na redação

Dia de jogo do Brasil é assim na redação

Sei que o jogo do Brasil ontem foi triste, muito, muito triste, mas não quero falar disso. Quero lembrar que a Copa ainda não acabou e que, aos trancos e barrancos, a gente tem se divertido horrores com ela. Ok que não vai ser dessa vez que a gente vai conquistar o hexa, mas só pela zuera que essa Copa tá sendo e pelos jogos insanos que tão rolando – eu (e a redação toda) fiquei em pânico na disputa de pênaltis da Costa Rica com a Holanda – já valeu a pena.

A foto aqui foi tirada no dia da abertura da Copa e também da estreia do Brasil e, fora a piada interna que só os fortes entenderão, já escancara a animação que uma parte da redação tava.

Olha, preciso confessar que vou sentir falta desse clima.

Pai e mãe, ouro de mina…

Esse ano, – mais até do que nos quatro últimos anos, desde quando me mudei pra Bauru – não tá fácil calhar de ter feriados em que eu pudesse ir visitar meus pais e aproveitar um tempinho maior em Leme. Por isso mesmo, como já fazia esse tempão que eu não ia pra lá, foi a vez deles me visitarem na cidade lanche. A visita na real foi bem rápida, mas, pelo menos, deu pra almoçarmos juntos e pra eu matar um pouco da saudade <3

Audrey <3

“I believe in pink. I believe that laughing is the best calorie burner. I believe in kissing, kissing a lot. I believe in being strong when everything seems to be going wrong. I believe that happy girls are the prettiest girls. I believe that tomorrow is another day and I believe in miracles.”  – Audrey Hepburn

 

Quem sabe um dia – Lauren Graham

Os 13 porquês – Jay Asher

Uma Noite Alucinante 2 – Sam Raimi (1987)

Somos Tão Jovens – Antônio Carlos da Fontoura (2013)

O Ano em Que Meus Pais Saíram de Férias – Cao Hamburger (2006)

Confissões de Adolescente – Cris D’amato e Daniel Filho (2014)

10 coisas que eu odeio em você {revisto} – Gil Junger (1999)

Oculus – Mike Flanagan (2014)

13 Sins – Daniel Stamm (2014)

Orange is the new black {2ª temporada}

RuPaul’s Drag Race {4ª temporada}

 RuPaul’s Drag Race {5ª temporada}

“O Formigueiro”: bem-vindo e volte sempre

Já faz alguns dias eu recebi o convite da querida Natália Nogueira pra visitar “O Formigueiro”, um lugar que até então eu só conhecia de nome, mas que tava bem curiosa pra conferir de perto. Explico: o Formigueiro é um bazar-brechó que acontece no Galpão Magan, um espaço aqui de Bauru dedicado as artes cênicas, e onde tem um pouquinho de tudo – e quando eu digo de tudo, é tudo mesmo: brinquedos, vinis, livros, comidinhas, acessórios e muitas, muitas roupas.

Parte da turma hoje responsável pelo Formigueiro começou todo esse trabalho primeiro lá na cidade de Votorantim, interior de São Paulo, onde aconteceu o primeiro bazar (na época ainda sem nome). A Nat e o espaço do Galpão Magan se juntaram a essa turma depois, e uma nova história começou a se delinear a partir daí: o  bazar ganhou a alcunha mais do que fofa de “O Formigueiro”, uma cidade nova pra chamar de sua, uma página no facebook e fotos incríveis pra divulgar todo esse trabalho.

As cinco pessoas que atualmente são responsáveis pelo bazar têm diferentes “especialidades”: uma faz e vende docinhos, outra faz trabalhos artesanais com bonecas, agendas, etc, e algumas meninas cuidam só do brechó. Tudo junto e misturado, o que torna tudo ainda mais legal, já que isso acaba atraindo gente de todos os tipos, jeitos e idades, e transformando esse espaço em um lugar onde você vai pra comprar brigadeiro e sai de lá com uma camisa nova, um vinil dos Beatles e milhares de ideias na cabeça.

Arrematei uma camisa amarelo pastel lindeza dessa arara de roupa!

Arrematei uma camisa amarelo pastel lindeza dessa arara de roupa!

Uma pequena parte da decoração mega colorida e divertida do bazar

E não dá pra negar que entre todas as coisas lindas do O Formigueiro, a parte que envolve roupas e acessórios virou a menina dos meus olhos, e eu e saí de lá (ainda mais) empolgada com essa cultura de brechós que cada vez mais ganha espaço no comércio nacional. E fiquem tranquilos que isso tá longe de ser um post ecochato, mas também não dá pra negar que todo esse crescimento dos brechós não tem relação alguma com os problemas ambientais pelos quais a gente tem passado, e que a gente sabe que se não cuidar agora, vai passar por muito mais ainda lá na frente.

Pra começar que a sustentabilidade nunca foi um tema tão falado como tem sido nesse século XXI, e isso em todas as áreas. Acho que a preocupação com o que acontecerá daqui pra frente com nossos recursos naturais é um dos temas mais importantes, falados e pensados nesse século, e é meio que uma metáfora também daquilo que acontece muitas vezes com a gente mesmo: só começamos a pensar no problema quando ele começa de fato a incomodar. Ou vai dizer que a gente nunca tentou resolver uma situação só quando ela já tava no limite e mostrando sinais de perigo? E já que aquele vestidinho de algodão fofo que a gente tem dentro do armário já não serve mais pra gente e tá em completo bom estado, por que não pensar então em maneiras de manter à moda a pleno vapor sem pra isso, necessariamente, aumentar tanto o fluxo de novas peças no mercado? E se isso não é o bastante, por que então não economizar seu precioso dinheiro e ao invés de gastar todo seu salário rios de dinheiro naquela camisa bapho, não investir em uma de brechó tão linda quanto, bem cuidada e menos que um terço do preço? E vale lembrar que tem brechós pra todos os gostos, dos mais caros aos mais baratos. Vai da gente garimpar e achar aqueles que realmente valem a pena. Olha aí O Formigueiro pra comprovar!

O formigueiro

Esses dias, lendo uma matéria sobre essa invasão de brechós em tudo que é canto, foi levantada uma questão que vale a pena mesmo ser pensada: numa época em que tantas tendências nos são impostas cada vez em maior número e em menor tempo, os brechós acabam sendo um lugar onde a gente pode fugir disso e deixar com o que o tal do estilo próprio – que independe de época ou moda vigente – fale mais alto. É onde a gente pode comprar sem se preocupar em ver um bendito vestido bandage em três de cada cinco peças na vitrine da loja.

Mudando de assunto...

Pra quem quiser conhecer O Formigueiro, o endereço do brechó é:

Av. Elias Miguel Maluf, 1-116
Galpão Magan – Bauru (SP)

Ele funciona em sábados e domingos específicos, então tem que ficar ligado lá no facebook pra ficar por dentro das datas!

Queria agradecer ao Di, Pedro e Ari que foram comigo conhecer o lugar e especialmente pra querida Nat, essa menina que faz os shorts customizados mais lindos ever, pelo convite. Vou voltar sempre ao Formigueiro, pode ter certeza :}

Ps: Esse não é um publipost! Se um dia tiver disso no blog, podem ter certeza que haverá uma categoria só pra eles por aqui muito bem identificada.

Ps2: Nesse mesmo dia a Nat pediu pra eu ajudar a divulgar uma das peças do brechó e tchan tchan tchan, tive uma tarde de modelo haha. Valeu, Nat!

paulinha

Momento modelete do post =P