As pessoas maravilhosas da minha vida

Eu não costumo fazer textos muito pessoais-reflexivos aqui no blog, mas às vezes a vida é tão boa comigo que eu sinto como se fosse injusto, leviano até da minha parte, ter um espaço em que escrevo e me mostro tanto e não mostrar também esses momentos. E, principalmente, essas pessoas. Esses seres que cruzam minha vida e que me tornam uma pessoa muito melhor.

Porque se eu tenho uma sorte nessa vida é de ter pessoas ao meu redor que mais do que amigas, no sentido de saberem de mim demais, de rirem comigo calorosamente, de me escolherem pra contar um caso, de me abraçarem quando o mundo desmorona e também quando o mundo sorri, são também pessoas que me fazem pensar. Assim, pensar um bocado. Pensar muito. Sobre a vida, o universo e tudo mais.

Gente que me faz ter momentos catárticos de parar e pensar “porra, essa vida é louca, mas é também maravilhosa.” Eu sou apaixonada por gente assim. No sentido mais puro do termo. Gente que eu admiro e que me faz pensar em coisas que eu não pensaria sozinha. Ou que, pelo menos, eu não pensaria sob outros ângulos, não pensaria fora da caixinha, não pensaria olhando com olhos menos engessados e muito mais livres.

Eu tenho uma sorte danada de ter encontrado gente assim nesses vinte e cinco anos de vida.

Eu divido meu apartamento, minha cama, boas horas do meu dia e principalmente minha vida com uma pessoa assim. Com um cara que me fala coisas que me fazem querer ser uma pessoa melhor. Com um cara que abre meus olhos, inclusive quando eu tô errada, e que me mostra o mundo. Eu tenho pessoas assim quando vou pra minha mesa na redação. Gente que em um religioso ‘café das sete horas’, mostra pontos de vista tão diferentes sobre um mesmo assunto, mostra maneiras tão diferentes de se ver um mesmo problema, que é tão eficaz quanto um tapa na minha cara pra acordar.

Eu tenho gente assim na minha vida que, mesmo longe geograficamente, é tão imensuravelmente importante pra mim que não tem ideia. Gente que conversa comigo sobre assuntos que ninguém mais conversa, gente que joga no meu colo uma verdade incontestável “você é só um grãozinho de nada em meio a todo esse universo.”

Eu tenho gente assim aos finais de semana quando vou visitar meus amigos. Gente que tem uma real preocupação em fazer a diferença no mundo, gente que pensa, sente e sofre o problema dos outros e continua inabalável na sua crença de fazer o bem. E gente que assim me toca e me ensina todo dia um pouquinho mais sobre tolerância.

Eu tenho gente assim na minha vida em vários momentos do meu dia. Nas mais variadas circunstâncias e das mais variadas formas, trazendo pensamentos e questionamentos diversos pra minha vida. E que me ocupam demais a cabeça porque eu penso demais sobre as coisas. Penso até muito mais do que deveria, a ponto de ter quadros de ansiedade e insegurança que me trazem enxaquecas, alergias…

Às vezes eu sinto que sou uma pessoa muito pequena, um átimo de nada, querendo entender o mundo e entender toda a complexidade dessas pessoas maravilhosas ao meu redor. E isso é muita coisa pra uma pessoa só. E é dolorido, é difícil, é bastante trabalhoso. Mas, no final do dia, ainda que tudo isso se deposite sobre esses ombros tão pequenos, só consigo pensar que é graças a todos essas pessoas, ensinamentos e questionamentos que o mundo se torna um lugar muito complexo pra se estar, mas também muito mais bonito pra se viver.

Os cinco de dezembro 2014

Todas as fotos desse post são do meu instagram: @paulinhav.

Cortei um pouco do cabelo e enrolei as pontas. Meu sonho era manter essa cabelo assim pra sempre.

Cortei um pouco do cabelo e enrolei as pontas. Meu sonho era manter essa cabelo assim pra sempre

Às vezes eu acho que alguém prega uma peça em mim e troca todos os copos de Coca-cola que eu tomo por chá de bambu. Assim, sem eu perceber. Porque só isso pra explicar o quão rápido meu cabelo tem crescido.

Eu ainda quero fazer um post aqui no blog contando sobre o problema grave de queda de cabelo que eu tive na adolescência, e como nos últimos cinco anos ele mudou completamente por causa dos tratamentos que fiz. Foi uma mudança decisiva na minha vida capilar, porque foi graças a ela que hoje meu cabelo tá crescendo dessa maneira louca. E que eu amo, claro, mas que me deixa um pouquinho incomodada porque com todo esse “peso”, meu cabelo acaba ficando muito liso. E eu sou louca por um movimento nos cabelos! Amo ondulações, amo cachos, amo essa vida mais tortinha e menos reta haha.

Por isso que uma das coisas que eu mais curto fazer no salão (nas raras vezes que eu vou, porque tenho preguiça) é babyliss. Como no dia dessa foto aí. Saio de lá me achando Gisele, Carrie e Jessie, todas misturadas, e com uma sensação boa de empoderamento. É a força do ondulado <3

Um mês cheio de boas companhias

Um mês cheio de boas companhias

Dezembro é sempre o melhor mês pra nos reunirmos com as pessoas que nos fazem um bem danado, porque além de Natal e Ano Novo, tem as revelações de amigo secreto, tem as despedidas de final de ano, tem os happy hours… E foi exatamente assim que foi meu último mês de 2014. Cheio de gente linda que me faz bem, que me faz rir e que topa se vestir de branco e pegar mico juntos.

Tenho 25 anos e amo My Little Pony!

Tenho 25 anos e amo My Little Pony!

É Natal e você pede o que de presente? Um batom, uma viagem, um vestido, o ingresso de um show? Eu até poderia pedir alguma dessas coisas, mas preferi pedir pro Diego a Princess Twilight Sparkle, a cavala-unicórnia mais linda do mundo e que tem a crina mais colorida e maravilhosa de todos os tempos.

Natal: a melhor época do ano <3

Natal: a melhor época do ano <3

Eu amo o Natal por vários motivos e um deles é que nessa época do ano até as coisas mais simples do dia a dia acabam pegando emprestadas um pouquinho da sua magia, das suas cores, do seu espírito natalino. Como por exemplo as embalagens especiais de comidas e bebidas que algumas empresas fazem e as imagens de rena, Papai Noel, árvore de Natal e estrela cadente que se espalham por todo lugar.

Essa garrafinha da Coca eu encontrei sem querer no supermercado e foi amor à primeira vista. Eu amo tanto essas edições especiais que você não fazem ideiam e logo botei ela aqui na mesa do computador pra me trazer um pouquinho de espírito de natal todos os dias haha. Já o cupcake foi presente da minha editora-chefe e só posso dizer que não casou apenas visualmente com a garrafinha, mas também deliciosamente no sabor haha.

Sou assim, a tradução da brasilidade e da cor do verão. Só que não.

Sou assim, a tradução da brasilidade e da cor do verão. Só que não

Aproveitei o recesso de final de ano pra fazer uma coisa que há muito tempo eu queria e não conseguia: passar uma tarde na piscina. Com toda essa brasilidade e cor de verão que Deus me deu, só que não, passei toneladas de filtro solar antes de ma arriscar a fazer isso, porque se não as consequências podem ser desastrosas, indo desde uma vermelhidão absurda até a pele descascando loucamente. No final deu tudo certo e além de conseguir nadar (porque eu nado mesmo, gente, não ligo muito pra ficar tomando sol ou ficar queitinha na piscina, sou dessas que fica que nem uma barata tonta nadando de um lado pro outro, planta bananeira e fica treinando segurar a respiração embaixo d’água haha), ainda tirei um tempinho pra ficar lendo na beira da piscina, que é uma das coisas que eu mais amo fazer.

E o mês de dezembro de vocês, como é que foi?

Bisous, bisous!

Os cinco de julho 2014

Todas as fotos desse post são do meu instagram @paulinhav

Fase de poás

Tô numa fase de poás e não resisti quando vi esse vestido na Marisa!

Acho que ele era pra ser meu mesmo, porque milagrosamente coube certinho em mim (sempre sofro com o fato das roupas ficarem enormes no meu corpo), e seguindo a minha tradição de estrear a peça o mais rápido possível (as pessoas pensam que é brincadeira, mas eu realmente gosto de comprar e usar a peça o quanto antes; não curto essa de deixar nenhuma roupa esquecida no armário), já botei ele pra passear no dia seguinte.

Aproveitei que o tempo tinha esfriado aqui em Bauru e já peguei meu casaco-velho-de-guerra preto, minha maleta, meu chapéu fedora – que tá se mostrando mega versátil tanto pros dias mais quentes quanto pros dias mais frios – e finalizei com um pontinho de cor na sapatilha.

Are you a lucky little lady in the city of light!

Em um dos sábados de julho teve o coquetel de lançamento do livro “Uma Canção para a Libélula”, escrito pela Juliana Daglio, uma amiga muito querida. Daí que depois da festa, das fotos e da comemoração, acabei indo parar em um barzinho aqui de Bauru chamado “Engenho Bangüê”, que é bem famoso por aqui, mas que por algum motivo que nem eu mesma sei, eu nunca tinha ido.

Resumo da ópera é que eu adorei o lugar, a comida, o atendimento e todo o ambiente. As músicas que tocaram foram incríveis (tanto a playlist que veio primeiro quanto a escolha de músicas da banda que tocou mais tarde) e a decoração do lugar, especialmente, era muito legal! Tô doida de vontade de voltar lá de novo.

Com amor, com afeto e um pouquinho de vinho

Como a temperatura caiu bastante aqui em Bauru e eu e Diego somos amantes de caldos e sopas, é claro que nosso primeiro destino seria a Cia do Caldinho, um restaurante-gracinha da cidade.

E pra acompanhar o prato, nada melhor e mais delicioso do que um bom vinho! <3

Minha primeira palestra

Não sei nem dizer quão orgulhosa, emocionada, feliz e realizada eu fiquei pelo que aconteceu em julho: fui chamada para dar uma palestra sobre Moda & Jornalismo para os alunos do último período da Universidade Tecnológica Federal do Paraná! Saber que meu nome foi escolhido para fazer algo tão importante e tão bacana me deixou extremamente emocionada e eu espero mesmo que eu tenha honrado a altura toda essa confiança que depositaram em mim.

O problema é que como eu tava muito nervosa, esqueci de colocar pra gravar (a palestra foi via skype) e acabou que eu não tenho como colocar o link aqui pra quem quiser assistir :~ De qualquer forma, eu vou entrar em contato com a professora Mariana pra ver se, por acaso, eles gravaram por lá. Vai que ainda nem tudo está perdido, né? ;}

Festa junina, ops, julina

A festa era pra ter sido junina, mas cada final de semana que passava, alguma coisa acontecia e a tal festa não rolava. Sorte que em julho os ventos mudaram e a gente conseguiu uma data em que todos (quase todos, vai) pudessem participar.

E aí o que era pra ter sido algo pequeno, com algumas comidinhas, virou a maior comilança e festival de risada do mês. E claro que a gente quer mais. Que venha a próxima festa e que ela não demore mais tanto pra acontecer!

Pequeno manual de filosofia para sobreviver a um papo-cabeça – Sven Ortoli e Michel Eltch

A Era Chanel – Edmonde Charles-roux

Jogador nº1 – Ernest Cline

O Lobo Atrás da Porta – Fernando Coimbra (2014)

Tudo o que Você Sempre Quis Saber Sobre Sexo (Mas Tinha Medo de Perguntar) – Woody Allen (1972)

O Colecionador de Corpos – Marcus Dunstan (2009)

A Espinha do Diabo – Guillermo del Toro (2001)

 Gossip Girl {1ª temporada}

Gossip Girl {2ª temporada}

Bisous, bisous

Os cinco de abril 2014

Todas as fotos desse post são do meu instagram (@paulinhav).

Um dos quadros maravilhosos que tem na Luminosidade

Lá em 2010/2011 eu morei durante um tempinho em São Paulo e trabalhei na Luminosidade, – maior empresa de moda do Brasil – fazendo a produção do SPFW e Fashion Rio. Foi uma das experiências mais incríveis e inspiradoras da minha vida, e além de eu ter tido a oportunidade de conhecer todo o behind the scenes da maior semana de moda da América Latina, eu tive certeza que moda era mesmo aquilo com o que eu queria/quero trabalhar.

Bom, passaram-se alguns anos desde então, e agora em 2014, no comecinho de abril, como fui pra São Paulo assistir o SPFW e rever alguns amigos, aproveitei também pra passar na Lumi e matar a saudade do lugar. Muita coisa mudou de 2011 pra cá (até o prédio agora fica em outro lugar), mas a inspiração que eu senti quando coloquei os pés naquela empresa é a mesma de quando entrei pela primeira vez.

Na foto aqui aparece um dos inúmeros quadros de moda que eles têm espalhados pelas suas paredes. É tipo um pedacinho bem pequeno de como essa lugar é lindo e transborda moda e beleza em todos os seus cantos.

Amiga & cupcakes <3

Em São Paulo aproveitei também pra matar a saudade da amiga & fotógrafa Bárbara Carneiro. Eu e a Babi somos amigas há anos, mas como ela mora em São Paulo e eu em Bauru, quando a gente se vê pessoalmente é praticamente uma festa haha. A gente tenta aproveitar bastante mesmo e fazer o máximo de programas que pudermos.

Dessa vez, além de termos almoçado juntas na sexta-feira, – quando também comemos esses deliciosos cupcakes comprados pela Bá – conseguimos nos ver no domingo. Passeamos pela Livraria Cultura e fomos tomar um café em um Starbucks ali perto, ou seja, o tipo de programa que eu não reclamaria de fazer todo final de semana :)

Desfile da Melissa na 37ª edição do SPFW

Ainda sobre São Paulo: como eu contei, um dos motivos de ter ido pra lá em abril foi que tava rolando o SPFW verão 2015. Eu fui assistir os desfiles do último dia e fiz um post aqui no blog contando como foi. Pra ler, é só clicar!

A foto aqui de cima é de um pedacinho do desfile da Melissa, que tinha como tema central da coleção o prazer de comer.

Uma vez sponsor, sempre sponsor

Lembram que contei ali em cima sobre a época que trabalhei na Luminosidade? Pois então, além da experiência profissional incrível que tirei disso, acabou que fiz verdadeiros amigos nessa lugar.

Desde então nós tentávamos  marcar um almoço pra reunir todo mundo, mas nunca dava certo porque muita gente não mora mais em São Paulo (alguns nem moram mais no Brasil). Só que aí no começo de abril, apesar de não termos conseguido reunir todo mundo, uma parte de nós conseguiu se ver, e finalmente fizemos com que aquele almoço – que já tava virando lenda! haha – desse certo. Foi lindo, lindo, e agora eu morro ainda mais de saudade deles.

Um dos melhores chás que já tomei

Uma amiga minha comprou esse chá de frutas silvestres da Twinings e disse que era “uma das melhores coisas que ela já havia tomado”. Não demorou muito e eu vi a Melina do A Series of a Serendipity falando sobre como ele era maravilhoso também. Pronto, coloquei na cabeça então que queria experimentar esse chá haha.

Comprei essa caixinha e uma outra da mesma marca, mas com sabor diferente, em um Pão de Açúcar lá em São Paulo. Se alguém se interessar, não sei se eles tem esses chás em todas as unidades, mas ainda acho o lugar mais provável de se achar.

Bisous, bisous e até o próximo post o/