O que aconteceu em 2017

Vou ser sincera: eu não tenho muito do que reclamar de 2017.

Eu comecei o ano de casa nova, depois de ter saído de um apartamento onde eu e Diego éramos muito felizes, mas onde já não fazia mais sentido estar. Mudamos entre o Natal e o Ano Novo, e passamos a virada do ano aqui, no nosso canto novo, comemorando a chegada de 2017 com um jantar feito pelo Di, sem nem imaginar o tanto de coisa que nos aguardava nos próximos 365 dias.

O que aconteceu em 2017

Foi em 2017 que eu terminei meu curso de inglês. depois de dois anos de aulas incríveis e um professor de que eu sempre vou sentir saudades. E tudo bem que eu ainda não seja fluente no idioma (estamos trabalhando pra isso melhorar), mas é inegável o quanto evoluí. Os jogos em inglês que joguei esse ano não me deixam mentir.

Aliás, por falar em jogos, 2017 foi o ano deles.

Eu descobri um amor por jogos que nem sabia que existia em mim. Nunca fui tão assídua na steam e nunca joguei tanto. Life is Strange, The Legendo of Zelda, Cuphead e Stranger Things são só alguns nomes, assim como CS:GO, jogo que há um ano eu jamais pensaria que ia jogar e muito menos acompanhar os campeonatos.

O que aconteceu em 2017

2017 foi o ano em que eu e Di conhecemos Bueno Aires, uma cidade que tem um charme muito peculiar e pela qual eu me apaixonei. Foi o ano em que minha sobrinha, a Gigi, nasceu e assim acabei voltando muito mais pra Leme. O ano em que comecei a fazer pole dance, trabalhei feito louca e fiz fotos muito legais para o blog.

2017 foi o ano em que renovei amizades, em que trouxe gente que amo e me faz bem ainda mais pra perto, e em que percebi que algumas pessoas entraram mesmo na minha vida pra ficar. Foi o ano em que fui madrinha de casamento de uma das minhas melhores amigas, uma pessoa incrível que tá na minha vida há quase 20 anos.

O que aconteceu em 2017

2017 foi o ano em que eu e o Diego voltamos a ver um show do Paul McCartney juntos, sete anos depois de termos assistido uma apresentação dele pela primeira vez. Foi o ano em que decidimos planos maiores para as nossas vidas, já com data marcada e tudo. O ano em que fomos na exposição do castelo Rá-Tim-Bum em São Paulo, e o ano em que conhecemos ainda mais bares, restaurantes e cafés – um “passatempo” de que eu nunca me canso.

O que aconteceu em 2017

2017 foi o ano em que não li tanto ou vi tantos filmes quanto gostaria, mas foi o ano em que mais fui ao cinema e o ano em que tive poucas, porém incríveis leituras.  Foi o ano em que meu cabelo cresceu, engordei alguns quilinhos, abracei meus gatos um dia sim e no outro também, e maratonei séries como se não houvesse amanhã.

2017 foi o ano em que muita coisa mudou por fora, mas principalmente por dentro. O ano em que eu mais cresci e o ano em que antigos sonhos que pareciam meio adormecidos voltaram a inquietar minha cabeça. Um ano muito bom, desses pra ficar na memória.

Que 2018 seja ainda mais maravilhoso e inesquecível do que ele foi. Pra todos nós.

Feliz ano novo e até janeiro!

Um novo lar

Escrevo este post diretamente do bloco de notas do celular, já que nesse momento não estou nem com meu computador funcionando e nem com acesso a internet.

Isso tudo porque nos últimos dias a possibilidade de mudar de casa se transformou não apenas em uma certeza, mas em uma certeza que se colocou em prática do dia pra noite.
imageEu e Diego queríamos sair do apartamento em que estávamos já fazia um tempo, e calhou de aparecer a possibilidade de mudar pra uma casa.

Foi tudo tão despretensioso, tão de uma hora pra outra, que deu certo. Deu tão certo que mudamos antes mesmo do ano terminar e nesse momento estamos com a casa meio que arrumada, meio que bagunçada, ainda colocando no lugar algumas coisas que faltam.

Como disse lá em cima, a internet ainda é uma dessas coisas que faltam (fiquei devendo posts de Natal esse ano por causa disso), mas acho que semana que vem já estarei com isso resolvido.

A ceia de hoje à noite, inclusive, já será aqui (decidimos cozinhar algo especial e aguardem os próximos capítulos pra saber o que resultou disso), o que quer dizer que começaremos 2017 numa casa 5 vezes maior do que nosso antigo apartamento, com piso de taco, com a minha tão sonhada biblioteca/escritório e com a companhia dos nossos gatos.

A mudança é muito, muito grande, não só por questões de espaço, mas também de localização, mas acho que aos poucos vou me adaptando a essa nova realidade. E isso tudo é bom, porque me faz acreditar que 2017 vai ser um ano todinho assim, cheio de mudanças na minha vida que vão botar a “casa em ordem”.

Quem leu o último post sabe que eu tô precisando disso (ainda que de lá pra cá as coisas tenham melhorado um pouquinho) e tô determinada mesmo a fazer do ano que vem o grande ano da diferença, daqueles que são divisores de água na vida.
imageDaqui a pouquinho vou sentar pra escrever minha lista de metas pra 2017 (posso dividir ela aqui depois se alguém por acaso quiser) e além das várias questões pessoais/emocionais que são prioridade na lista desse ano, uma dessas metas tem a ver com se dedicar mais ao blog e ao canal. Sei que não é a primeira vez que falo disso por aqui, mas pro ano que vem tenho metas um pouco mais reais nesse quesito – além de algumas coisas que em breve já devem ser colocadas em prática, podem esperar.

Por ora então desejo pra vocês uma virada de ano bem gostosa, na companhia de pessoas muito especiais (inclusive na de você mesma, porque afinal quer companhia melhor que essa?) e um 2017 incrível, leve e feliz.

Que ano que vem a gente bote pra quebrar!

Beijos e corre aí que tá quase na hora da ceia (: