Ontem a W revelou as sete capas que vão estampar sua edição de fevereiro e já podemos dizer que sim, 2015 começou bem para as revistas de moda.

Além dessa edição ser dedicada ao cinema e as personalidades que brilharam nas telonas em 2014, as fotos de capa são maravilhosas… Melhor dizendo, MARAVILHOSAS, em letras garrafais mesmo, porque elas merecem.

Emma Stone, minha capa preferida de todas, foi escolhida pela sua atuação em Birdman (com estreia prevista para 29 de janeiro aqui no Brasil). O filme teve sete indicações (número cabalístico, hein?) ao Globo de Ouro de 2015 e as críticas ao filme e principalmente a Emma têm sido tão maravilhosas, que minha vontade de assistir ao longa só cresce. Principalmente depois de ter visto essa cena aqui.

Benedict Cumberbatch e Keira Knightley estão no elenco de The Imitation Game, ainda sem previsão de estreia aqui no Brasil. O que muita gente já dá como certo é a indicação de Benedict para o Oscar de melhor ator, principalmente depois do sucesso que ele e o longa alcançaram no Festival de Toronto.

Eu confesso que não tinha me interessado muito pelo filme até assistir o trailer e ir procurar mais sobre a vida de Alan Turing, o matemático a quem Benedict dá vida no filme. Ele contribuiu tanto para a ciência da computação, teve um papel tão importante nos rumos que a Segunda Guerra Mundial tomou e foi tão duramente massacrado pela opinião pública por simplesmente ser quem ele era, que eu já criei uma puta admiração e respeito pelo cara.

Eu devo ser provavelmente a única garota que ainda não assistiu A Culpa é Das Estrelas, filme que fez Shailene estampar uma das sete capas da W [aqui o trailer]. Eu arriscaria dizer que ele foi um dos filmes mais vistos – se não dos mais vistos, mas com certeza dos mais comentados – do ano passado. O que não foi muita surpresa já que ele vinha sendo aguardado muito ansiosamente por meio mundo, desde que a notícia de que o livro viraria filme pipocou na imprensa.

Um dos motivos pra eu não ter visto o filme ainda é que eu fiquei com birra da Shailene desde aquele comentário infeliz que ela fez sobre feminismo. Tô, no entanto, tentando botar em prática o que aprendi com o Think Olga sobre sororidade e pensar que ela, assim como tantas outras meninas por aí, só propaga um discurso que foi mostrado pra ela desde sempre. Com a repercussão ruim que a declaração teve, me dá um pouco de esperança de que ela e quem mais diz isso tenha entendido que esse conceito de feminismo tá definitivamente errado.

A capa que traz Amy Adams (e que tá muito incrível) tem tudo a ver com o filme que a colocou aí: Big Eyes, o novo longa-metragem de Tim Burton, que chega aqui no Brasil dia 29 de janeiro.

Desde que eu vi o trailer do filme, fiquei numa ansiedade level hard, afinal Tim Burton é um dos meus diretores preferidos e eu tô bastante curiosa pra ver os toques tão característicos dele em um filme que não é nem de terror e nem de fantasia.  Acho que essa é a chance de Tim voltar a fazer trabalhos tão incríveis quanto os seus mais antigos.

Wild, que vem dia 15 de janeiro para o Brasil e é estrelado por Reese Witherspoon, é mais um filme que promete aparecer na lista do Oscar [aqui o trailer]. Inspirado no livro que conta a história real de Cheryl Strayed, uma mulher que se aventura sozinha e em busca de si mesma na selva, ele parece ter mesmo virado queridinho da crítica.

Um detalhe de behind the scenes do filme que me chamou a atenção é que como Reese precisava viver essa mulher tão intensa, que tava em um lugar tão isolado e passando por um momento de raiva tremenda, o diretor pediu pra que todos os espelhos do trailer-camarim dela fossem tampados. Ela não podia ver sua aparência, porque esse tipo de preocupação e de vaidade não podiam ter espaço naquele papel.

Essas curiosidades sobre construção de personagem sempre me chamam a atenção. Eu fico pensando quão louco e maravilhoso é, por um tempo, você praticamente viver uma outra vida, completamente diferente da sua e mergulhar naquilo de cabeça. É muito incrível quando a gente para pra pensar no papel da atuação sobre esse aspecto.

Filme novo de Clint Eastwood merece atenção! E é graças a ele, chamado American Sniper, que Bradley Cooper entrou na lista das sete capas de fevereiro da W. Parece que o filme chega por aqui só dia 19 de fevereiro, mas pelo trailer já dá pra ter uma ideia do que vem por aí. E se eu fiquei tensa só com isso, não quero nem pensar na hora que ele chegar nos cinemas daqui…

Teremos Julianne Moore como melhor atriz desse ano no Oscar? Muita gente tá fazendo apostas de que sim, mas eu sempre deixo pra formar minha opinião só depois de ver todos os filmes (esse ano vai ter #aquecimentoOscar de novo aqui no blog, aguardem!). Se isso realmente acontecer, vai ser a primeira vez que a atriz vai ganhar a estatueta. E isso aos 54 anos de idade, gente, o que pra mim torna tudo ainda mais especial.

Still Alice, o longa responsável por todo esse burburinho, conta a história de uma renomada professora que é diagnosticada com Alzheimer e passa a sofrer os terrores da doença em todos os aspectos da sua vida. Ele chega dia 26 de fevereiro no Brasil, mas tem o trailer aqui pra quem quiser assistir. Vale notar que esse é mais um filme que veio adaptado de um livro. Coisa que sempre aconteceu no cinema, mas que eu tenho a impressão que nos últimos anos cresceu de uma forma gigantesca e tem sido responsável por inúmeros filmes com sucesso de crítica e público.

Enfim, listadinhos aqui todos os filmes que mereceram a atenção da W, já pode começar a contagem regressiva pra estreia deles no Brasil, pro Oscar e pra comprar a revista (eu quero MUITO essa edição). E se isso não te convenceu ainda, vai aí o plus de que apesar de sete estrelas terem sido escolhidas pra capa, o miolo conta com a participação de 39 atrizes e atores que arrasaram em 2014. Todos em fotos fodas clicadas por Tim Walker.

Tudo tão bonito quanto uma sessão de cinema em um fim de tarde.

Bisous, bisous