Como em 2012/2013 resolvi me jogar sem medo nesse mundo da beleza, experimentando um pouco de tudo e aprendendo todo dia algum truquezinho novo de beauté, foi meio que natural que alguns produtos se destacassem como meus preferidos, desses que nunca mais quero largar. Nessa lista de melhores produtos da minha curta, porém intensa experiência, a máscara de cílios Noir Couture da Givenchy se mostrou um item maravilhoso, desses que literalmente fazem o olho brilhar.

O mais engraçado é que essa máscara veio parar na minha vida de um jeito muito inusitado! Tava rolando um concurso cultural da Vogue Brasil no twitter, eu resolvi participar e o resultado foi que contra todas as expectativas  – já que eu nunca ganho essas coisas -, minha frase foi uma das escolhidas, e eu ganhei a dita cuja (nas versões preta e marrom) e os perfumes Dahlia Noir Eau de Toilette e Dahlia Noir Eau de Parfum.

E sim, os perfumes são sensacionais, mas tiveram algumas coisas diferentes nessa máscara – e que eu nunca tinha visto em outras máscaras que usei – que me fizeram elegê-la como preferida. E antes que alguém fale qualquer coisa, não é só uma questão “de marca”. Se teve uma coisa que eu aprendi nessas tentativas e erros de beleza é que apesar de marcas mais famosas, respeitadas e etc sempre terem muito mais chande de, de fato, entregarem um produto de qualidade para o consumidor, tem muito produto de marca desconhecida e baratinha que pra gente funciona melhor – e beleza tem muito disso de funcionar para uma pessoa de um jeito e para outra de outra maneira.

Do mesmo jeito que uma mesma marca pode ter um produto que a gente ama muito e outro que não nos agrada – tipo a Eudora que tem o batom melancia shock que eu adoro, mas que tem um esfoliante que pra minha pele não dá certo – a gente vai aprendendo que testar é, no final das contas, sempre mesmo a melhor maneira de achar o produto “ideal” que a gente quer.

 

O que mais me agrada nessa máscara da Givenchy é, na verdade, não apenas uma, mas várias coisas, porque os quatro benefícios que ela promete na sua descrição pra mim deram certo de fato.  Volume, tratamento, alongamento e curvatura são funcionalidades que, conforme a gente passa mais e mais dela nos cílios, dá pra perceber que tão de fato surtindo efeito. E é legal também que pra quem tem a máscara na duas versões, a preta (Black Satin) e a marrom (Brown Satin), poder brincar de destacar mais a cor e formato dos olhos com a primeira ou abrir o olhar com a segunda.

Como a máscara tem três bolinhas (os tais ouriços) isso facilita muito na hora de passar porque deixa a distribuição mais uniforme. Além deles ajudarem a alongar os cílios, as bolinhas também ajudam a impedir que a máscara se acumule em determinadas áreas. Fica algo mais natural, sabe? Sem aquela impressão de olho carregado de rímel.

E pode parecer uma coisa meio desimportante, mas como eu adoro um produto de beleza que além de bom tenha também uma embalagem bonita, pra mim essa máscara aqui ganha ainda mais pontos por isso. O tubinho dela é enorme, com um design lindo e tem uma parte de cima, – onde a gente segura para passar o rímel – bem maior do que o normal, dando mais firmeza na hora de passar.

Enfim, é amor eterno, amor verdadeiro nos meus produtos de beleza.

E me contem agora vocês quem aí já usou essa máscara e o que achou.

Bisous, bisous e até o próximo post!